Q

Previsão do tempo

17° C
  • Monday 22° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 24° C
18° C
  • Monday 26° C
  • Tuesday 27° C
  • Wednesday 28° C
17° C
  • Monday 28° C
  • Tuesday 28° C
  • Wednesday 29° C

Conflitos no Bairro Sociallevam ao abandono das casas

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Tânia Rocha O Bairro Social da Bela Vista, em Alcobaça, tem sido palco de vários conflitos entre as famílias de etnia cigana que lá residem. No último incidente registado houve agressões com armas brancas que fez pelo menos um ferido. Este episódio obrigou várias famílias, parentes entre si, a abandonarem as casas onde viviam, para […]

Tânia Rocha O Bairro Social da Bela Vista, em Alcobaça, tem sido palco de vários conflitos entre as famílias de etnia cigana que lá residem. No último incidente registado houve agressões com armas brancas que fez pelo menos um ferido. Este episódio obrigou várias famílias, parentes entre si, a abandonarem as casas onde viviam, para não haver “mais desgraça”. Na última reunião pública do executivo municipal de Alcobaça, alguns residentes do Bairro Social, que agora vivem em barracas na Cova da Onça, informaram a autarquia do ambiente de violência, medo e falta de segurança que se vive no Bairro e pediram um alojamento provisório, lembrando que as crianças estão a viver em péssimas condições e deixaram de ir à escola.

Os inquilinos disseram que foi um erro misturar “todos os ciganos no mesmo bairro” e realçaram ainda que a polícia tem “medo de lá entrar”. O presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, Paulo Inácio, reconheceu que “foi um erro colocar todas as famílias de etnia cigana juntas”, opinião ratificada também pelo vereador da CDU, Rogério Raimundo. O presidente ainda confessou que é “urgente” resolver a questão da segurança, mas também disse que “o problema agora não é de fácil resolução para a Câmara”, uma vez que as casas já foram entregues. Rogério Raimundo alertou a Câmara para o facto de não estar a ser cumprido o regulamento por parte de algumas famílias, e disse que a Câmara tem de intervir nessa situação. Até ser encontrada uma solução, estas pessoas, cerca de 10 famílias, vão continuar a viver em barracas.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados