Q

Previsão do tempo

19° C
  • Monday 22° C
  • Tuesday 20° C
  • Wednesday 20° C
19° C
  • Monday 24° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 21° C
22° C
  • Monday 24° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 20° C

Nova provedora da Misericórdia diz que “sustentabilidade financeira” é uma das grandes preocupações

Marlene Sousa

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Na cerimónia de tomada de posse dos novos órgãos sociais da Santa Casa da Misericórdia das Caldas da Rainha (SCMCR) para o quadriénio 2021-2024, a nova provedora, Maria da Conceição Pereira, disse que “uma das preocupações é a sustentabilidade financeira da instituição enquanto prestadora de serviços para apoiar quem mais precisa”.

As questões financeiras são um dos principais focos da equipa que tomou posse no dia 10 de janeiro na no edifício sede da SCMCR (ginásio). “Promover a sustentabilidade da Santa Casa é preparar um futuro melhor para a instituição porque sem esse equilíbrio no setor financeiro corremos o risco de não conseguir manter a casa”, apontou a nova responsável.

A provedora explicou que é a “instituição que tem o maior número de valências” e pretende “continuar a dignificar a primeira casa de solidariedade social do concelho, que é uma referência”.

Perante o cenário socioeconómico e financeiro, que no ano 2020 teve mais despesas devido à pandemia, Maria da Conceição Pereira disse que a equipa irá “agarrar este desafio numa altura de crise sanitária com vista a que esta casa consiga cumprir o seu compromisso e também melhorar as infraestruturas do edifício e para isso contamos com a ajuda da autarquia, segurança social e da população e empresas da região através de donativos”.

“Há valências que apenas existem nesta Santa Casa e por isso temos que as preservar, como é o caso do CAT, do Lar da Infância e Juventude, o Centro de Acolhimento Temporário, CLDS 3G | Ponto de Ajuda 3, entre outros”, o que é para Maria da Conceição Pereira uma grande “responsabilidade”.

A nova provedora lembrou que foi feita uma candidatura ao programa Pares para a requalificação da Casa de Repouso no valor de cerca de 100 mil euros. Ainda não há informação da sua aprovação.

Outra missão dos órgãos socais é definir qual o destino a dar à mais recente propriedade que foi adquirida na estrada para a Foz do Arelho (antiga loja de bicicletas).

A provedora elogiou o papel dos órgãos sociais que, em áreas diferentes, irão de uma forma voluntária “servir não só a instituição, mas acima de tudo as pessoas do concelho que nos procurarem”.

Destacou ainda os trabalhadores da instituição, que têm um papel muito importante no funcionamento da casa e que “têm neste contexto da Covid-19 feito um trabalho notável, sabendo ultrapassar as dificuldades e os desafios”.

Segundo indicou, nos últimos testes que fizeram há cerca de uma semana “todos os utentes e colaboradores deram negativo”.

Quanto à vacinação contra a Covid-19 que já arrancou em alguns lares no país, a nova provedora afirmou que não tem ainda informação sobre essa matéria.

Se não fosse a pandemia, a cerimónia de tomada de posse teria sido muito diferente. “Hoje seria o dia em que iriámos comemorar o início do ano com um almoço com todos os trabalhadores, infelizmente não o pudemos fazer nem pudemos convidar para aqui estar connosco neste dia importante outras entidades”, apontou a responsável.

Primeira mulher a liderar os destinos da SCMCR, Maria da Conceição Pereira recordou que “quem fundou as misericórdias foi a Rainha D. Leonor”. Deixou um “agradecimento público” ao presidente cessante, Lalanda Ribeiro, que assistiu à cerimónia de tomada de posse de forma virtual. “Foram 34 anos à frente da instituição e foi realmente uma pessoa extraordinária que se dedicou de corpo e alma, e que alargou as valências da Santa Casa e vai ser difícil substitui-lo”, salientou.

Lalanda Ribeiro disse que não conhece ninguém mais apto para o cargo que Maria da Conceição Pereira, uma vez que foi presidente da Mesa da Assembleia Geral e é vereadora responsável pelo pelouro da ação social.

Tinta Ferreira pede donativos para a Misericórdia

O presidente da Câmara das Caldas não poupou elogios ao provedor cessante, pelo “grande trabalho que desenvolveu à frente da instituição”.

Segundo o autarca, “hoje as pessoas não se lembram da realidade desta casa na entrada de Lalanda Ribeiro”. “Era uma altura de grandes dificuldades e o provedor teve um grande espírito lutador, nunca baixou os braços e dedicou muito de si à instituição, deixando um trabalho notável que deve orgulhar a população do concelho”, salientou.

Sobre o futuro da SCMCR, Tinta Ferreira pediu à comunidade que ajude a instituição para que possa fazer face às valências que tem. “Ao longo do tempo as pessoas sempre tiveram a noção que era preciso apoio dos cidadãos e das nossas empresas para que esta instituição pudesse fazer aquilo que mais ninguém faz, quer no apoio aos mais carenciados quer no apoio a crianças e jovens”, declarou.

Segundo adiantou o autarca, “é uma instituição de referência e presta alguns serviços à comunidade em áreas que mais ninguém tem e para que consiga continuar a desenvolver as suas atividades não é suficiente aquilo que está instituído através dos apoios dos dinheiros públicos”.

Tinta Ferreira também elogiou a nova provedora, considerando que “é a melhor pessoa para a função devido ao conhecimento que tem nesta área e à sua capacidade de trabalho”. O autarca esclareceu que o trabalho da provedora é a título voluntário.

Órgãos Sociais para o quadriénio 2021-2024

Mesa da Assembleia Geral

Presidente – Jorge Varela

Germano Marques

Irene Maria Costa

Mesa Administrativa

Provedora – Maria Conceição Jardim Pereira

Ana Cristina Rodrigues

Carlos Manuel Xavier

Jorge Barosa

Soraia da Silveira

António Cipriano da Silva

Margarida Luís Ferreira

Suplentes – Alberto Pereira

Elizabete Ferreira

José Emanuel Ferreira

Conselho Fiscal

Presidente – Pedro Marques

Filomena Rodrigues

Manuel dos Santos

Alberto Simões Cortez

João Manuel Girão

Armindo Garcia

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Marcha do Orgulho com mais de 300 participantes

Realizou-se nas Caldas da Rainha, no dia 26 de junho, uma marcha em defesa da comunidade lésbica, gay, bissexual, transgénero e outras orientações de género, com mais de três centenas de manifestantes a rejeitarem serem discriminados e a reclamarem por condições...

marcha1

Arrancaram obras na linha férrea entre Caldas e Torres

A Infraestruturas de Portugal deu início, no dia 28 de junho, à empreitada de modernização do troço da Linha do Oeste entre Torres Vedras e Caldas da Rainha, após a assinatura do auto de consignação ter tido lugar na estação ferroviária de Caldas da Rainha, com a...

ferrovia