Q

Previsão do tempo

23° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 25° C
  • Saturday 25° C
23° C
  • Thursday 25° C
  • Friday 30° C
  • Saturday 29° C
22° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 30° C
  • Saturday 30° C

Oitava etapa da 78.ª Volta a Portugal vai passar em 11 dos 12 concelhos do Oeste.

Mariana Martinho

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Considerada a etapa “mais longa dos últimos cinco anos”, a oitava etapa da 78.ª volta a Portugal Santander Totta, apresentada na passada quarta-feira na sede da OesteCim em Caldas da Rainha, vai passar pela primeira vez em 11 dos 12 concelhos do Oeste, ficando de fora apenas, Peniche.

A Volta a Portugal que arranca de Oliveira de Azeméis a 27 de julho e que passará no dia 5 de agosto pela Nazaré, conta com um investimento de 100 mil euros por parte dos doze municípios de forma a “ativar a marca Oeste”.

A realização de uma etapa completa pela região do Oeste é uma das novidades da 78.ª edição da Volta a Portugal, com partida marcada a dia 05 de agosto no Sitio da Nazaré e chegada a Arruda dos Vinhos.

Este penúltimo dia de competição visitará os municípios de Alcobaça, Caldas da Rainha, Óbidos, Bombarral, Lourinhã, Torres Vedras, Cadaval, Alenquer e Sobral de Monte Agraço, levando o pelotão a percorrer 208,5 quilómetros entre o Atlântico e a Serra de Montejunto.

Segundo Joaquim Gomes, diretor da prova, o penúltimo dia de competição da etapa “mais longa dos últimos cinco anos vai ser com certeza uma das etapas mais importantes da volta e vai corresponder às nossas expetativas”. Ainda elogiou a “beleza” do percurso do penúltimo dia de competição, que levará o pelotão a atravessar os onze municípios do Oeste.

Na etapa do Oeste serão discutidas três metas volantes (em Bombarral, Torres Vedras e Sobral de Monte Agraço) e três contagens de montanha (em Montejunto, Alenquer e Arranhó).

O diretor da prova também sublinhou que a “concretização desta etapa em pleno território”, com investimento de 100 mil euros por parte dos doze municípios, pode resultar “num retorno muito superior em termos diretos e indiretos”. Além disso, pode contribuir para o desenvolvimento da região e ainda aumentar o número de representantes “naquela que é a maior prova no ciclismo nacional”.

Já Delmiro Perreira, presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) defendeu que a realização da etapa da competição no Oeste deve continuar, pois “trata-se de uma região de excelência para o desporto”.

“A ligação das nossas provas a regiões bem organizadas para a prática de desportos de ar livre deve ser potenciada”, sublinhou o presidente da FPC, defendendo a ideia que a competição volte em anos futuros a contar com uma etapa completa na região Oeste.

“O Oeste vai continuar por muitos anos no percurso da Volta a Portugal”, frisou o dirigente.

O antigo corredor também reconheceu a “excelência” da região, onde os praticantes da zona de Lisboa podem participar e reconhecer turisticamente, entre as diversas zonas percorridas pela competição, “a marca Oeste como uma imagem muito forte”. Ainda desafiou a ideia de criar “regiões onde se deve fazer o turismo em bicicleta”, como uma oportunidade de negócio e formula de associar os dois elementos.

Pedro Folgado, presidente da Comunidade Intermunicipal do Oeste (Oestecim) sublinhou o papel da região num mundo do ciclismo. “Uma região de fervorosos amantes do ciclismo e um berço de equipas e ciclistas de nomeada como o caso de Joaquim Agostinho, há muito já merecia”. Ainda salientou que a “Volta a Portugal trata-se de evento muito importante, que supera e muito a componente desportiva fazendo parte da matriz social, cultural e económica de Portugal”.

Segundo a organização da prova, desde a 1ª edição da Volta a Portugal já participaram na competição ao longo de quase 90 anos, seis concelho do Oeste com 65 presenças, entre as quais 16 partidas e 14 chegadas.

“A cidade Caldas da Rainha é uma das protagonistas mais assíduas da Região Oeste”, salienta a organização, acrescentando que logo na primeira edição, António Carvalho (Carcavelos) consolidou a liderança na chegada e foi consagrado vencedor da 1.ª Volta a Portugal em bicicleta, em Lisboa.

A Volta a Portugal arranca no próximo dia 27 de julho, em Oliveira de Azeméis com 18 equipas profissionais e termina a 07 de agosto, em Lisboa depois de 1.618,7 quilómetros percorridos pelo pelotão.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Novo recorde de maior onda surfada na Praia do Norte

Há um novo recorde mundial de maior onda já surfada na Praia do Norte, na Nazaré, que foi alcançado pelo alemão Sebastian Steudtner, que em 29 de outubro de 2020 atingiu os 26,21 metros, segundo foi anunciado nesta terça-feira pela World Surf League (WSL),...

ondajpg

Gala 30 Anos Jornal das Caldas

A noite de hoje é de festa! Assista em direto à Gala dos 30 anos do Jornal das Caldas, a partir das 20h30.

gala 30anos jornal caldas