Q

Previsão do tempo

13° C
  • Wednesday 16° C
  • Thursday 16° C
  • Friday 12° C
12° C
  • Wednesday 17° C
  • Thursday 17° C
  • Friday 13° C
10° C
  • Wednesday 17° C
  • Thursday 17° C
  • Friday 12° C

Paulo Brites deixou o comando técnico de “Os Nazarenos”

JJP

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Depois de vários jogos como treinador da equipa sénior de “Os Nazarenos”, onde em 24 pontos possíveis, só conquistou 3, o treinador Paulo Brites apresentou a sua demissão. O Região da Nazaré publica um excerto daquilo que o ex-mister nazareno considera que falhou na sua passagem pelo clube nazareno.

Pedi a demissão, não por sentir que a equipa não dava mais, mas por razões de principio que tenho na vida, senti que quem estava a meu lado e não estou a referir-me a jogadores, não tive o apoio que eu achava que merecia, sabiam das razões deste começo de campeonato e que a equipa tinha tudo para crescer pois só com o decorrer dos jogos, e com os lesionados a regressarem aos treinos mentalmente a equipa cresceria. Refiro-me a quem estava a meu lado que não teve estofo para analisar o que se avizinhava e parece que á sétima jornada para alguns a equipa já estava condenada a descer, nada disso. Quando se tem 22 jogadores num plantel e só os consegue juntar para treinar a uma semana de começar o campeonato e devido a vários factores: trabalho sazonal de alguns, futebol de praia de outros, férias pelo meio, que os mesmos tiveram. Já tínhamos começado a pré época mas sabíamos de antemão que iria ser complicado, tenho consciência disso, eu falava com o meu adjunto onde lhe dizia, “esta equipa só pode crescer com o tempo nos jogos,” não havia outra solução. Chegámos a ir fazer jogos de pré época só com 5 jogadores que faziam parte dos 22, o resto eram atletas á experiência e alguns que pediam para treinar, outros juniores. Tive o azar de se lesionarem jogadores importantes dentro do esquema que idealizei e que transmitiriam toda a mística e garra do clube nos jogos. Quando ia para um treino com um plano bem definido do que queria, apareciam 7/8 jogadores para treinar, não foi fácil, quando quis trabalhar sectores e por exemplo no defensivo tive por vezes 2 defesas, só se juntando quase toda a defesa nas sextas- feiras que era quando estavam todos disponíveis. Quando se trabalhava por exemplo em algumas semanas 70% dos treinos, tinham como objectivo a finalização onde em 7 jogos que estive no comando da equipa os jogadores fizeram 67 remates às balizas adversárias e apenas 5 golos marcados está tudo dito. Quando sai do clube só existia um ponta de lança, outro estava lesionado contra isso nada a fazer, e existia outro que foi castigado injustamente no qual apanhou 4 jogos podendo-se recorrer à AFL que reveria o caso e baixava para dois jogos. A direcção do clube deixou andar não se mexeu em nada. Quem foi o comandante do barco fui eu e assumo a responsabilidade total, mas assim não há milagres e por vezes os treinadores são julgados por aquela coisa redonda não passar o risco de baliza e mesmo jogando mal interessa é ganhar. Eu não me revejo nesse tipo de futebol, a grande satisfação que me dá é saber que pratiquei um futebol muito agradável de se ver manifestado por pessoas entendidas e não pelo gajo que pede para entrar a borla para ir ver o jogo e chamar nomes ao árbitro, mas ate esses ficaram agradados com os jogos que a equipa fez, onde falhámos foi não termos metido golos em tantas oportunidades que tivemos e ponto final. Queria deixar um apreço a alguns jogadores que tudo fizeram para as coisas mudassem dentro de todas estas nuances que falei. Sai de consciência tranquila e não belisca em nada o que já fiz ate aqui, e digo mesmo, sai para não haver alguma razia no plantel pois essa era a vontade de quem estava a meu lado mas ai era pior se já não existem jogadores em número suficiente para treinar iria ser pior. Falei com dois treinadores amigos que estão nesta mesma divisão e estão nos primeiros lugares onde tecem rasgados elogios ao meu trabalho e como a equipa praticava um bom futebol, um ate me disse para voltar com a palavra atrás, mas não abdico nem me submeto a ninguém foi assim e será assim que tive e terei sucesso. Fiquei com uma mágoa enorme não poder ajudar a crescer alguns jogadores mas não abdico dos meus princípios para se poder trabalhar temos que remar todos para o mesmo lado, e sentir que existem outras coisas não sei trabalhar assim. Desejo toda a sorte do mundo ao plantel e ao meu amado clube GDN

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Justine Dupont e Nathan Florence dominaram os Prémios Big Wave Challenge

Os surfistas de ondas grandes celebraram as suas conquistas de 2022 numa Gala de Prémios que decorreu no cineteatro da Nazaré Justine Dupont foi a grande vencedora dos prémios do Big Wave Challenge, arrecadando os troféus de Maior Onda, Onda do Ano e Surfista do...

bigwaves

Canil municipal na Nazaré sem capacidade para mais animais

O canil municipal na Nazaré atingiu o limite da sua capacidade de acolhimento de animais e recebe diariamente apelos para a recolha de ninhadas ou de canídeos encontrados a deambular pelo concelho, com sinais de desorientação. Segundo o grupo de voluntários que...

canil 1

Alfeizerão regressa à época Medieval de 14 a 16 de julho

Alfeizerão Medieval, um evento com entrada gratuita, que vai recriar os tempos em que cristãos e mouros conviviam naquela terra, sob o domínio dos monges de Cister, vai decorrer de 14 a 16 de julho. O mercado medieval vai ficar instalado num espaço de mais de...

mediaval