Q

Previsão do tempo

13° C
  • Thursday 16° C
  • Friday 16° C
  • Saturday 12° C
13° C
  • Thursday 17° C
  • Friday 16° C
  • Saturday 12° C
14° C
  • Thursday 16° C
  • Friday 16° C
  • Saturday 12° C

AIRO deu a conhecer mecanismos de apoio do QREN às empresas em 2013

Marlene Sousa

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
“Cerca de 400 milhões de euros estão ainda disponíveis, até ao ?nal de 2013, em fundos do QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional) para apoiar os novos projetos de empresas nacionais”, disse, nas Caldas, Franquelim Alves, na qualidade de Gestor do Compete - Programa Operacional Fatores Competitividade, acrescentando que é uma “franja interessante de oportunidades que vale a pena aproveitar”.

Franquelim Alves, que é o atual secretário de Estado do Empreendedorismo e da Inovação, foi um dos oradores do seminário “Empresas Portuguesas em 2013”, que teve lugar no passado dia 30, no auditório da Expoeste, organizado pela AIRO – Associação Empresarial da Região Oeste. Quando esteve presente nas Caldas da Rainha ainda não tinha sido revelada publicamente a sua nomeação a Secretário de Estado.

Em declarações ao JORNAL DAS CALDAS, este responsável referiu que a Compete tem concursos abertos nas várias valências e que o objetivo prioritário “é apoiar os setores transacionáveis da economia portuguesa e, sobretudo, projetos orientados para a exportação”.

“Temos sistemas de incentivo tradicionais, qualificação, investigação e ainda um programa para o empreendedorismo e a inovação disponíveis para pequenas iniciativas, como por exemplo, um plano de marketing, um estudo de mercado, onde as empresas se podem candidatar de uma forma simples e rápida”, adiantou Franquelim Alves.

A iniciativa, dirigida às empresas desta região, teve como objetivo dar a conhecer os mecanismos de apoio do QREN em vigor e possibilidades existentes durante o ano de 2013. Franquelim Alves divulgou as novas regras e simplificação de procedimentos relativos às candidaturas ao QREN em 2013.

Segundo Sérgio Félix, da AIRO, este seminário foi a primeira ação da associação este ano, tendo em conta que o QREN tem concursos agora abertos. “Como estamos no último ano do QREN, queremos alertar e informar as empresas”, disse, acrescentou que a iniciativa foi também aproveitada para também fazer o “lançamento oficial do projeto formação PME, em que a AIRO vai intervir junto de 46 empresas com o apoio de formação e consultadoria. Para 2013 tem previsto realizar oito workshops formativos e cinco seminários sobre questões importantes para as empresas.

Família feliz com casa nova

No campo dos projetos de Responsabilidade Social Empresarial da AIRO, Sónia Almeida, coordenadora do projeto “Vidais”, apresentou a iniciativa que visou a construção, requalificação e reabilitação das infraestruturas habitacionais de uma família numerosa e carenciada residente na freguesia dos Vidais.

“Em consonância com a ação social da autarquia das Caldas da Rainha, apadrinhámos um agregado familiar numeroso da freguesia dos Vidais, composto por oito elementos, dois adultos e seis menores, dos quais, três sobrinhos foram recentemente acolhidos por se encontrarem em risco de institucionalização”, disse Sónia Almeida, adiantando que “dois dos sobrinhos são gémeos de 13 anos, sendo um deles uma criança multideficiente, sem qualquer autonomia ao nível físico e que necessita de cuidados permanentes”.

Revelou que, entre muitas outras limitações, “a casa não tinha água canalizada nem saneamento básico”. “Era fundamental construir uma casa de banho na zona dos quartos, bem como um novo quarto no rés-do-chão com uma casa de banho adaptada para o menino com deficiência pois, considerando as limitações impostas ao nível dos acessos, todas as noites dependia de um adulto que o levasse ao colo para a cama, muitas das vezes à chuva e ao frio, uma vez que o único acesso que existia para o piso dos quartos era feito pelo exterior”, explicou a técnica da AIRO.

A fim de evitar o acesso aos quartos pelo exterior, foi necessário construir umas escadas interiores para o 1º piso. Foi feita toda a canalização das águas domésticas. A cozinha foi reconstruida e ampliada e foi provida de lava-louça, exaustor, esquentador e armários. Todo o piso da habitação foi pavimentado, onde foi colocado mosaico no rés-do-chão e piso flutuante no 1º andar (o anterior piso era de cimento e parqué degradado). Segundo esta responsável, foi ainda instalada uma salamandra para aquecer a sala e criado, no 1º andar, um novo WC e um espaço de estudo para as crianças, com grandes janelas que garantem uma boa luz natural.

“A porta principal foi alargada e substituída, bem como todas as portas dos quartos que se encontravam empenadas, sem fechaduras, e eram demasiado estreitas. Finalizados todos os trabalhos de construção, foi feita a pintura integral, interior e exterior da habitação”, disse Sónia Almeida.

Esta ação de solidariedade social foi promovida pela AIRO, em colaboração com a sua rede de associados envolvendo as empresas e utentes do GIP (Gabinete de Inserção Profissional). “O trabalho desenvolvido só foi possível com muito esforço de todas entidades envolvidas, quer na angariação de materiais, quer no fator tempo, uma vez que todos os trabalhos se realizaram num período de dois meses, minorando assim ao máximo os constrangimentos impostos à família apoiada”, declarou Sónia Almeida, que destacou o trabalho de muitos voluntários. “Toda a mão-de-obra foi assegurada pelos utentes do GIP/AIRO, que, estando desempregados, aceitaram o desafio de cooperar com esta causa. Alguns destes voluntários (com experiência na construção civil) permaneceram na obra durante cerca de dois meses, recebendo apenas a garantia de almoço e a gratidão da nossa equipa e da família beneficiária”, apontou.

Em declarações ao REGIÃO DA NAZARÉ, Sérgio Simões disse estar muito satisfeito com as obras fizeram na sua habitação em Vidais. “A minha casa não tinha condições. Eles começaram do zero e remodelaram o interior e o exterior”, disse o pai do agregado familiar que tem três filhos e que acolheu três sobrinhos (filhos da irmã da sua esposa). “As crianças têm espaço para estudarem e têm conforto”, adiantou.

Considerando a atual conjuntura, altamente desfavorável, e todas as dificuldades que o tecido empresarial atravessa, Sónia Almeida destacou a ajuda das empresas para “angariar os materiais necessários para a realização da obra, que fez uma família feliz”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Marcha do Orgulho com mais de 300 participantes

Realizou-se nas Caldas da Rainha, no dia 26 de junho, uma marcha em defesa da comunidade lésbica, gay, bissexual, transgénero e outras orientações de género, com mais de três centenas de manifestantes a rejeitarem serem discriminados e a reclamarem por condições...

marcha1

Arrancaram obras na linha férrea entre Caldas e Torres

A Infraestruturas de Portugal deu início, no dia 28 de junho, à empreitada de modernização do troço da Linha do Oeste entre Torres Vedras e Caldas da Rainha, após a assinatura do auto de consignação ter tido lugar na estação ferroviária de Caldas da Rainha, com a...

ferrovia