Q

Previsão do tempo

14° C
  • Sunday 18° C
  • Monday 21° C
  • Tuesday 19° C
14° C
  • Sunday 19° C
  • Monday 24° C
  • Tuesday 20° C
12° C
  • Sunday 18° C
  • Monday 23° C
  • Tuesday 20° C
[speaker]
[speaker]

Pai que matou bebé de seis mesesacusado de homicídio qualificado

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Paulo Alexandre Alcindo C., de 23 anos, o homem que em Abril deste ano matou o filho, de apenas seis meses, com murros e pontapés, foi acusado de homicídio qualificado pelo Ministério Público (MP) de Alcobaça. Já a mãe da criança, foi acusada de omissão de auxílio. O homicida vai responder, ainda, por dois crimes […]

Paulo Alexandre Alcindo C., de 23 anos, o homem que em Abril deste ano matou o filho, de apenas seis meses, com murros e pontapés, foi acusado de homicídio qualificado pelo Ministério Público (MP) de Alcobaça. Já a mãe da criança, foi acusada de omissão de auxílio.

O homicida vai responder, ainda, por dois crimes de violência doméstica. O julgamento deste caso deverá iniciar-se em Janeiro do próximo ano. No despacho de acusação, a procuradora adjunta do Ministério Público, escreveu sobre o dia 5 de Abril, que o bebé ficou aos cuidados do pai, na casa onde a família residia, em Alcobaça, e, que “cerca das 10 horas da manhã, sem qualquer razão que o justificasse, desferiu sucessivos murros e pontapés na cabeça e por todo o corpo do menor”, cujas lesões, internas e externas, foram a causa da sua morte.

Para o Ministério Público, o arguido deveria saber que o choro da criança “não era motivo para que actuasse da forma descrita, tirando-lhe a vida”.

“Ao agredir o menor David, seu filho, da descrita forma, o que fez utilizando a força, aproveitando-se da fragilidade e da incapacidade de defesa da criança (tendo em conta a idade – apenas seis meses – e compleição física), atingindo-a por todo o seu corpo, repetidamente e com violência, em especial na cabeça e na região cervico-toráco-abdominal, o arguido sabia que dessa forma lhe provocava a morte, o que quis e conseguiu”, lê-se no despacho de acusação. O arguido está detido preventivamente desde o dia do crime. Segundo o Ministério Público, Arlindo “agiu a sangue frio, de forma insensível e indiferente para com a vida humana”. Ainda de acordo com o despacho de acusação, desde o seu nascimento, que o arguido “sempre demonstrou impaciência em relação à criança”, sendo-lhes apontadas a autoria quatro agressões ao pequeno David, uma das quais quando este tinha apenas dois meses de vida. Quanto à mãe do bebé, que faria se fosse vivo completaria um ano a 27 de Outubro, Carla, de 21 anos, “tendo conhecimento da existência de tais agressões, bem como das consequências das mesmas no corpo e da saúde do menor, nunca em momento algum recorreu à assistência médica ou denunciou a situação perante as autoridades judiciárias, policiais, os organismos de protecção de menores ou a Segurança Social”, embora sabendo que o menor, face às agressões, “necessitava de cuidados médicos emergentes”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Idoso detido por agressão a polícias

Um homem, de 70 anos, foi detido em flagrante pela Polícia de Segurança Pública (PSP) pelo crime de resistência e coação sob funcionário, depois de ter agredido, ameaçado e injuriado dois agentes da esquadra da Nazaré, no passado dia 5 de maio. De acordo com o...

Cadáver encontrado na Praia de Vale Furado

Um cadáver apareceu na madrugada de 21 de abril na Praia de Vale Furado, na freguesia de Pataias, em Alcobaça. A Autoridade Marítima Nacional revelou ser o corpo do jovem de 22 anos que tinha desaparecido no dia 13 de abril na Praia da Vieira, na Marinha Grande....

Estudante detido por tráfico de droga

Um jovem estudante, de 18 anos, foi detido pela PSP da Nazaré por tráfico de droga, no passado dia 27 de fevereiro. De acordo com as autoridades, no seguimento de uma investigação confirmou-se a suspeita de que o jovem, residente naquele concelho, se dedicava à...

estudante2222