Q

Previsão do tempo

14° C
  • Monday 14° C
  • Tuesday 15° C
  • Wednesday 15° C
14° C
  • Monday 13° C
  • Tuesday 15° C
  • Wednesday 15° C
13° C
  • Monday 13° C
  • Tuesday 14° C
  • Wednesday 15° C

Vila de Alfeizerão sem médicos motiva manifestação

Francisco Gomes

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A população de Alfeizerão manifestou-se na manhã do passado dia 2 em frente ao centro de saúde da vila por causa da falta de médicos. Os utentes estão com exames por serem vistos e sem receitas.

As duas médicas destacadas na extensão de saúde de Alfeizerão estão de férias, após uma delas ter estado de baixa. Sem consultas, indignados, mais de cem utentes manifestaram-se, questionando a tutela sobre a razão de não haver substituição e reclamando uma solução “urgente”.

“Num dia temos médico e não temos administrativa. No outro temos administrativa, mas não há médico”, relatou o presidente da Junta de Freguesia de Alfeizerão, Leonel Ribeiro, contestando o facto de “a maior parte dos dias” a extensão de saúde se encontrar fechada.

A vila tem 3800 habitantes e mais de mil utentes estão inscritos nesta extensão de saúde. O autarca revelou que se deparou com “85 receitas por passar a pessoas que aguardam há mais de um mês”. Ele próprio é lesado: “Ando há mais de seis meses para mostrar o resultado de análises e tenho a medicação interrompida”.

Amélia Cunha tem 54 anos e precisa de medicamentos porque é diabética crónica, tem colesterol e é hipertensa. “Tinha consulta e a médica não apareceu. Tenho análises para mostrar e onde vou buscar os medicamentos? O meu pai também precisa de vir ao médico porque tem pedra no rim. Isto está bom é para as agências funerárias”, desabafou.

Adelaide Estrelado, de 72 anos, afirmou estar “à espera de uma consulta de ortopedia”, lamentando que “cada vez que a doutora está doente, mete baixa ou tem férias não há outra a substituí-la”.

António Saudade, de 78 anos, mostra-se inconformado: “Fiz exames e a médica não comparece para vê-los. É lamentável”.

Zaida Rebelo, de 48 anos, é doente oncológica e não tem conseguido realizar exames pedidos pelo Instituto Português de Oncologia, devido à falta de médico na extensão. A sua mãe, de 85 anos, sofreu um AVC no mês passado. “Teve alta há três semanas e desde essa altura que ando com ela para mostrar os exames. Chego ao hospital das Caldas da Rainha e dizem para ir ao médico de família”, contou.

Apenas em Setembro as atuais médicas regressarão de férias. O Agrupamento de Centros de Saúde do Oeste vai tentar atenuar o problema com a contratação de médicos a uma empresa de prestação de serviços.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Timorenses acolhidos por Alcobaça aguardam ofertas de emprego

40 migrantes de nacionalidade timorense foram alojados na Pousada da Juventude de Alfeizerão, em Alcobaça. “São na maioria jovens entre os 20 e os 30 anos, que vieram encaminhados pela Segurança Social de Leiria”, segundo o presidente da Câmara de Alcobaça,...

24ª Mostra Internacional Doces & Licores Conventuais regressa ao Mosteiro

De 17 a 20 de novembro, Alcobaça estará, uma vez mais, no mapa internacional dos eventos gastronómicos de excelência. A 24.ª edição da Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais de Alcobaça “tem como novidade o alargamento do espaço de exposição para três...

cornucopias