Q

Previsão do tempo

14° C
  • Tuesday 17° C
  • Wednesday 19° C
  • Thursday 18° C
14° C
  • Tuesday 19° C
  • Wednesday 21° C
  • Thursday 19° C
10° C
  • Tuesday 18° C
  • Wednesday 21° C
  • Thursday 19° C

O Trevo de Quatro Folhas (MPT)

Paula Serrador

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O Movimento Partido da Terra, cujo símbolo é o trevo, acreditou no projeto liderado pelo Arquiteto Salvador. É uma feliz coincidência o partido ser o da Terra, é isso mesmo que nos move: a nossa Terra; o símbolo ser o trevo de quatro folhas, é crença popular que dá sorte, é disso que precisamos para concretizar o sonho de todos: dignificar e promover o Concelho, e "Salvador" é um apelido que assenta na perfeição: haja alguém que nos salve das amarras de 20 anos de inércia e desgoverno.

Assim, Salvador já há, a Terra é a Nazaré que amamos, só falta a Sorte, que mais não é do que os votos de quem já não se deixa enganar com “papas e bolos”. Pois é! Algumas floreiras já são outra vez floreiras, os buracos (só os da calçada) andam a ser tapados, o edifício da Junta parece estar pronto para ser inaugurado à pressa, os trabalhadores até já vestem t-shirts da Junta, o palco do terreiro no Sítio desapareceu e deu lugar a outro bem mais capaz e, até as Festas do Sítio tiveram direito a divulgação na Marginal. Para quê? Esperava que fossem em grande mas foi mais uma desilusão, mais um engano, vão morrendo aos poucos. Até tivemos direito a programa na TV, na Praça Sousa Oliveira! Só não se entende porque não se comemoraram os 100 anos da nossa terra, afinal, quando se quer, quando a motivação é manter “tachos, panelas e trens de cozinha” faz-se tudo, ou quase tudo, põe-se tudo a “mexer na cozinha” para “confecionar as papas e os bolos”, vamos ver quantos os vão comer. Tenho esperança que sejam poucos porque a quantidade de listas traduz o descontentamento de muitos. Viva as eleições!

Também já fui tola, mas já não quero mais “papas nem bolos”, por isso integro a equipa do MPT porque considero que o arquiteto Salvador é, de todos os candidatos, sem dúvida, o mais esclarecido, não só porque conhece a nossa Câmara, mas também porque teve a coragem de defender os seus valores e os interesses da população, tomando as decisões certas na altura própria (como no processo das águas, em que rompeu com o sistema, renunciou ao ordenado e votou sozinho contra a privatização das nossas águas) e, porque também tem a experiência autárquica de Câmaras bem maiores do que a da Nazaré, (Alcobaça e Caldas, onde trabalhou) e tem o saber aprendido numa Câmara com uma gestão financeira de sucesso, como a das Caldas da Rainha, onde exerce a sua profissão. Considero o arquiteto Salvador uma pessoa de trabalho, com a experiência necessária para alterar a situação financeira da Câmara da Nazaré e o homem certo para nos dar alguma esperança.

Além disso, acredito nas pessoas que fazem parte deste grupo porque são homens e mulheres responsáveis, idóneos e competentes, sem amarras ou compromissos político-partidários, unidos por uma só vontade: dignificar o Concelho.

A equipa do MPT é a expressão transversal da nossa sociedade, congregando valores comuns assentes no humanismo e na universalidade, e integra pessoas de várias áreas sociais e profissionais.

A equipa do Movimento do Partido da Terra surge da vontade de encontrar alternativas concretas e credíveis para um Concelho onde são visíveis inúmeros problemas que condicionam a qualidade de vida de todos os que o habitam e visitam.

Por tudo isto, e porque o símbolo é um Trevo, convido-vos a investir nesta “raspadinha” com a certeza que vamos ganhar um Concelho limpo, desenxovalhado, atraente, justo e com futuro.

Eu voto no Movimento do Partido da Terra. Eu voto MPT.

Eu aposto no trevo porque quero maior respeito pelas freguesias e pelo seu património de forma a contribuir para uma aproximação à sede de Concelho. Não quero mais “ remendos” à pressa por altura das eleições.

Voto MPT porque quero tudo o que a equipa do MPT quer! (veja o nosso programa eleitoral)

Voto MPT porque quero um Concelho respeitado, organizado, planeado, digno e credível!

Se está cansado dos políticos, de promessas que caem em saco roto, de mentiras, de favores a amigos e amigalhaços, vote no MPT.

Connosco a população terá opinião.

Por querermos ser diferentes, por sermos um grupo de pessoas que cumpre o que promete, por exigirmos, por lutarmos, por gostar da nossa terra, estamos empenhados na mudança.

Vote no Partido do Trevo e muito do que se vê será diferente!

Nota – É falta de civismo este vandalismo a que se assiste. É muito feio danificar os cartazes eleitorais. Todas as forças políticas são livres para se manifestar e divulgar as suas ideias, sem constrangimentos. Foi muito feio ver a parede da Junta de Freguesia vandalizada. Felizmente pintaram-na de imediato. Ninguém possui o direito de impor a sua visão do mundo contra a vontade da comunidade. O respeito é muito bonito.

Vote MPT e voltará a ter orgulho na nossa terra.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Gala 30 Anos Jornal das Caldas

A noite de hoje é de festa! Assista em direto à Gala dos 30 anos do Jornal das Caldas, a partir das 20h30.

gala 30anos jornal caldas

A Homenagem e o Reconhecimento!

ANTÓNIO TRINDADE é a prova viva de que um Homem pode fazer a diferença, lutando por causas que entende como justas, apoiando os seus e nossos concidadãos às vezes. Tem ajudado sim e, às vezes parecendo estar sozinho…não, vai contando com o apoio de Amigos e de quem...

Espaço Jovem

Há cerca de um ano, Portugal iniciou o seu processo de vacinação para a Covid-19, e com ele foi-nos também inoculada uma falsa esperança de controlo pandémico. Apesar da elevada adesão ao programa de vacinação, que culminou com quase 90% da população vacinada, verificou-se uma democratização do receio de viajar, à exceção dos meses de veraneio, perpetuando, assim, uma situação de grande fragilidade no setor. Uma das consequências mais evidentes desse fenómeno verifica-se na hotelaria, que tem vindo a perder trabalhadores e que, em parte, se deve aos sucessivos avanços e recuos no combate à pandemia, não permitindo a criação de estabilidade e planos a médio e longo prazo.