Q

Previsão do tempo

17° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 22° C
  • Friday 21° C
17° C
  • Wednesday 25° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 24° C
19° C
  • Wednesday 23° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 23° C
Eu Pescador me Confesso

O REGRESSO DOS DINOSSAUROS

Armando Lopes

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A Câmara da Nazaré é a quarta, no país, com o maior prazo de pagamento a fornecedores. Em relação à sua dimensão, é a segunda mais endividada e, também, a segunda com menos liquidez. Apesar disso, vá-se lá saber porquê, continua a ser uma autarquia apetecível. Basta verificar a quantidade imensa de candidatos às próximas eleições do dia 29 de Setembro.

Estas considerações prévias dão que pensar nos verdadeiros motivos que fazem toda esta gente movimentar-se. Protagonismo, afirmação pessoal, jogo de interesses ou vontade de servir. Por tudo aquilo que conhecemos da generalidade das autarquias do país, creio que este último é aquele que menos corresponde à realidade. Veja-se a voracidade com que alguns candidatos contornam a lei de limitação de mandatos e institucionalizam o cargo como profissão.

Há quem diga que não permitir a candidatura noutro concelho é um atentado às liberdades individuais. Talvez seja. Admito até que o Tribunal Constitucional tenha razão quando permite as recandidaturas. Mas a aplicação desta lei é uma demonstração da inutilidade de muita legislação aprovada na Assembleia da República. E significa que o facto de os deputados parirem uma lei que não legisla coisa nenhuma é uma aberração.

Tornar vitalício um cargo que tem por finalidade servir os cidadãos, em funções específicas e durante um período limitado, é o primeiro passo para criar insubstituíveis. E os insubstituíveis são os grandes angariadores de clientelas e alimentadores de interesses que, mais cedo ou mais tarde, hão-de traduzir-se no endividamento das autarquias. Vícios privados, públicas virtudes…

Decididamente, não gosto destes excessos de altruísmo e dedicação à causa pública. Principalmente quando eles resultam no prejuízo dos munícipes, com o agravamento de taxas e impostos. Como diz a sabedoria popular: “Quando é grande a esmola o pobrezinho desconfia.”

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Cinco missões para um Portugal Inteiro

No ano em que celebramos o cinquentenário do 25 de Abril, é com orgulho e humildade que nos dirigimos ao povo português para partilhar de forma clara e firme a visão que temos para Portugal, os objetivos que perseguiremos e as medidas que implementaremos. Com...

Canil municipal na Nazaré sem capacidade para mais animais

O canil municipal na Nazaré atingiu o limite da sua capacidade de acolhimento de animais e recebe diariamente apelos para a recolha de ninhadas ou de canídeos encontrados a deambular pelo concelho, com sinais de desorientação. Segundo o grupo de voluntários que...

canil 1