Q

Previsão do tempo

16° C
  • Monday 22° C
  • Tuesday 28° C
  • Wednesday 23° C
17° C
  • Monday 27° C
  • Tuesday 36° C
  • Wednesday 30° C
16° C
  • Monday 28° C
  • Tuesday 34° C
  • Wednesday 30° C
EU PESCADOR ME CONFESSO

“PATCHWORK”

Armando Lopes

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Da primeira vez que foram pedidos sacrifícios, os portugueses surpreenderam-se. Tinham-lhes prometido benesses e, em troca, estavam a dar-lhes penalizações. No entanto, aceitaram a justificação de que esses sacrifícios eram para tapar buracos orçamentais. Resignaram-se, visto tratar-se de uma boa causa. E ficaram convencidos de que, tapados os buracos com os seus sacrifícios, tudo passaria a funcionar conforme o prometido. O Governo analisou, quantificou, fez as contas e avançou…

Da segunda vez que foram pedidos sacrifícios, mais sacrifícios, os portugueses desconfiaram. Tinha havido erro nos cálculos e as previsões tinham falhado, disse o Governo. Estranhamente, acrescentaram com ingenuidade, os buracos aumentaram em lugar de serem tapados. Prometeram, desta vez, resolver o problema e tornar o futuro próspero. Os portugueses, a muito custo, acreditaram…

Das vezes seguintes em que foram pedidos ainda mais sacrifícios, os portugueses revoltaram-se. Porque perceberam que o aumento dos buracos orçamentais se destinava a engolir, apenas e só, os seus sacrifícios. E perceberam, também, que a única coisa que os seus sacrifícios tapavam era a incompetência do Governo. Não há paciência que aguente…

O Governo é, de facto, um buraco insaciável. Sem qualquer réstia de sensibilidade, porque suga sem contemplações o sangue dos mais fracos, dos mais expostos e dos mais indefesos. Com justificações tolas, mentirosas e injustas. Que não resolve nenhum problema mas que os agrava todos. Que esbanja o nosso dinheiro com assessores, consultores e parcerias, e cedências aos grandes interesses nacionais e internacionais.

O Governo que temos é uma manta de retalhos, cujas políticas de austeridade aumentaram significativamente a dívida pública. Nestes dois anos de exercício, destruiu a economia e a sustentabilidade do Estado social. Quer fomentando a emigração (principalmente dos jovens qualificados) quer dificultando a fixação de imigrantes. Durante este período de governação a crise agravou-se e o Governo falhou na resposta aos problemas sociais por ela gerados. Os seus erros grosseiros provocaram milhares de vítimas. Pessoas que perderam o trabalho, as poupanças, os negócios, a habitação bem como o direito à saúde, à educação e à alimentação, sendo condenadas à caridade, à emigração, à fome e à miséria.

No entanto, houve quem lucrasse com o nosso incomportável endividamento, com o encerramento de milhares de empresas, com a flexibilização das leis laborais, com a degradação das condições de vida dos portugueses, com as ameaças de extorsão e a consequente fuga de capitais. A Alemanha e os países do norte da Europa, deixaram de ter as nossas empresas no mercado concorrencial, viram a mão-de-obra barata tornar-lhes os investimentos mais apetecíveis e passaram a financiar-se a juros nulos ou até negativos. Por isso é que as suas economias são sólidas, ao contrário da nossa que se vai tornando irrecuperável.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Braga de novo “Brilhante” levantouo troféu da Euro Winners Cup

Futebol de Praia: ACD O Sotão ficou no 3º lugar da prova. Decorreu na praia da Nazaré de 8 a 16 de Junho, o Euro Winners Cup. O estádio do Viveiro Jordan Santos e campos adjacentes foram o palco de inúmeros jogos, nas vertentes masculinas e femininos. Na grande...

448561289 18440336599000110 8585624812273994783 n

O sonho tornou-se real e o NDFAC subiu à elite do andebol nacional

Andebol: Nazaré tem pela primeira vez uma equipa no Nacional da 1ª Divisão em seniores masculinos Em jogo da 10ª e última jornada da Fase Final do Campeonato Nacional da Divisão de Honra de Seniores Masculinos, o Nazaré Dom Fuas Andebol Clube de Paulo Félix perdeu...

img 2816 copiar 1 2500 2500