Q

Previsão do tempo

16° C
  • Sunday 16° C
  • Monday 15° C
  • Tuesday 13° C
16° C
  • Sunday 16° C
  • Monday 15° C
  • Tuesday 14° C
17° C
  • Sunday 17° C
  • Monday 14° C
  • Tuesday 14° C

Cirurgia de ambulatório de adultos do CHONvai ser centralizada no Hospital de Alcobaça

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Paulo Alexandre A cirurgia de ambulatório de adultos, na área de intervenção do Centro Hospitalar Oeste Norte (CHON), vai ser centralizada no Hospital de Alcobaça, a partir de Maio, divulgou, sexta-feira, o conselho de administração. “Vão-se iniciar no próximo mês as obras para adaptar um bloco do hospital de Alcobaça exclusivamente à cirurgia de ambulatório, […]

Paulo Alexandre A cirurgia de ambulatório de adultos, na área de intervenção do Centro Hospitalar Oeste Norte (CHON), vai ser centralizada no Hospital de Alcobaça, a partir de Maio, divulgou, sexta-feira, o conselho de administração. “Vão-se iniciar no próximo mês as obras para adaptar um bloco do hospital de Alcobaça exclusivamente à cirurgia de ambulatório, para tentarmos melhorar quer a capacidade quer a qualidade da resposta” afirmou o presidente do Conselho de Administração (CA) do CHON, Carlos Sá durante a apresentação de um estudo à satisfação dos utentes do hospitais.

A cirurgia ambulatória (intervenções cirúrgicas sem necessidade de internamento) “é a área em que estamos menos bem”, disse o presidente da administração, justificando a centralização do serviço no Hospital Bernardino Lopes de Oliveira, em Alcobaça, que a par com o Centro Hospitalar das caldas da Rainha e o Hospital São Pedro Gonçalves Telmo (Peniche), integra o CHON. A obra de adaptação do bloco operatório e sete quartos já foi adjudicada e, segundo Carlos Sá, “prevê-se que no final de Abril esteja terminada”. A centralização permitirá reduzir o tempo de espera das intervenções já que, segundo Carlos Sá “a ideia é ter todos os tempos operatórios (quatro de manhã e duas a quatro cirurgias à tarde) sempre ocupados e por isso vamos claramente aumentar as respostas”.

Ao contrário destas obras, Carlos Sá admitiu um atraso que poderá oscilar entre os três e os cinco meses na readaptação do Hospital São Pedro Gonçalves Telmo (Peniche) a hospital de cuidados continuados, devido a uma alteração da lei. “Até ao ano passado, a obra podia ser feita através de ajuste directo mas, infelizmente, há cerca de três semanas saiu uma nova informação a dizer que agora tem que ser por concurso público e deverá atrasar três meses”, explicou. A obra que ultrapassa os dois milhões de euros (comparticipados pelo QREN – Quadro de Referência Estratégica Nacional e pelo Estado) vai permitir requalificar todo o edifício e deverá estar concluída um ano após a adjudicação.

Carlos Sá admite que o início da intervenção, que implica a mudança do serviço de urgências para a consulta externa e vice-versa, “possa adiar-se mais dois meses, para evitar que a obra coincida com o verão”. Contactado pela Lusa o presidente da câmara de Peniche, António José Correia (CDU), disse já ter solicitado a presença de Carlos Sá numa assembleia municipal para “explicar estas questões sobre as quais faremos a nossa apreciação”.

Porém, adianta o autarca, “Peniche vai querer que seja cumprido o compromisso do governo e não haverá conselho de administração que consiga ultrapassar esses compromissos”. A construção de um novo Hospital Oeste Norte ou a remodelação dos existentes foi um dos compromissos do Programa de Acção para o Oeste, envolvendo um investimento total de dois mil milhões de euros.

Fonte:Lusa

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Timorenses acolhidos por Alcobaça aguardam ofertas de emprego

40 migrantes de nacionalidade timorense foram alojados na Pousada da Juventude de Alfeizerão, em Alcobaça. “São na maioria jovens entre os 20 e os 30 anos, que vieram encaminhados pela Segurança Social de Leiria”, segundo o presidente da Câmara de Alcobaça,...