Q

Previsão do tempo

13° C
  • Thursday 16° C
  • Friday 16° C
  • Saturday 12° C
14° C
  • Thursday 17° C
  • Friday 16° C
  • Saturday 12° C
14° C
  • Thursday 16° C
  • Friday 16° C
  • Saturday 12° C

Mohave Oil rejeita riscose eventuais danos

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Paulo Alexandre Responsáveis da Mohave Oil & Gas Corporation, empresa que vai analisar o subsolo de Alcobaça para pesquisar petróleo, rejeitaram em sessão de esclarecimento no auditório da Biblioteca Municipal de Alcobaça riscos e eventuais danos na realização deste trabalho para o mosteiro ou outras estruturas da cidade. “Efectivamente, o risco não existe”, afirmou o […]
Mohave Oil rejeita riscos<br>e eventuais danos

Paulo Alexandre Responsáveis da Mohave Oil & Gas Corporation, empresa que vai analisar o subsolo de Alcobaça para pesquisar petróleo, rejeitaram em sessão de esclarecimento no auditório da Biblioteca Municipal de Alcobaça riscos e eventuais danos na realização deste trabalho para o mosteiro ou outras estruturas da cidade. “Efectivamente, o risco não existe”, afirmou o geógrafo da empresa, Rui Vieira e esclareceu que, “do ponto de vista estritamente técnico”, a empresa poderia, “com segurança, operar a 15 ou 20 metros do mosteiro”. Rui Vieira assegurou que um camião a passar em frente ao Mosteiro de Alcobaça, classificado como Património da Humanidade pela UNESCO, causa um “impacto maior” que os equipamentos da Mohave.

Actualmente, o trabalho da empresa na região estende-se por 160 quilómetros quadrados, em duas freguesias de Porto de Mós, Valado dos Frades, na Nazaré, e 12 freguesias no concelho de Alcobaça. Questionado por um morador que reside a menos de 500 metros do monumento sobre a probabilidade de danos na casa e quem paga eventuais indemnizações, o presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, Paulo Inácio, remeteu a responsabilidade para a empresa, acrescentando: “Os nossos técnicos dizem que não vai haver danos, a empresa diz o mesmo”. No mesmo encontro, o director-geral em Portugal da Mohave Oil & Gas Corporation, Arlindo Alves, explicou que esta primeira fase, que vai determinar a possibilidade de existência de petróleo, terminará dentro de cinco a seis meses, após análise dos dados recolhidos. Só depois, se saberá se a empresa avança para a perfuração do solo.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Maçã de Alcobaça apresentou-se na Feira Fruit Attraction em Madrid

Feira Fruit Attraction, um dos maiores certames de marketing de produtos agrícolas (frutas e vegetais) do mundo, decorreu no pavilhão da IFEMA Madrid, de 4 e 6 de outubro, e Alcobaça esteve presente com um dos seus produtos frutícolas de marca. O evento contou com...

anexo sem nome 00056

Walter Chicharro reeleito presidente da distrital socialista de Leiria

O atual presidente da Distrital de Leiria, e único candidato ao cargo, Walter Chicharro, assegurou, no passado dia 4 de novembro, a reeleição como presidente da distrital de Leiria do Partido Socialista. Sobre a moção “Reforçar o PS, Reforçar a Região”, o também...

wc