Q

Previsão do tempo

17° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 31° C
  • Saturday 29° C
18° C
  • Thursday 28° C
  • Friday 37° C
  • Saturday 37° C
16° C
  • Thursday 28° C
  • Friday 37° C
  • Saturday 37° C

Crise continua a ser ameaça para cerâmica utilitária

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Conclusões de dois estudos apresentados em Alcobaça Paulo Alexandre A crise, a concorrência de países com mão-de-obra mais barata, o aumento de importações destes produtos, a valorização do euro face ao dólar e os custos energéticos, continuam a ser fortes ameaças à sobrevivência do sector da cerâmica, em particular do subsector da cerâmica decorativa e […]

Conclusões de dois estudos apresentados em Alcobaça Paulo Alexandre A crise, a concorrência de países com mão-de-obra mais barata, o aumento de importações destes produtos, a valorização do euro face ao dólar e os custos energéticos, continuam a ser fortes ameaças à sobrevivência do sector da cerâmica, em particular do subsector da cerâmica decorativa e utilitária. José Luís Sequeira, vice-presidente executivo da Associação Portuguesa da Indústria Cerâmica (APICER), que esteve na semana passada em Alcobaça para a apresentação de dois estudos sobre o sector da cerâmica do concelho de Alcobaça e da Região Oeste, afirmou que “a crise provocou uma quebra acentuada de encomendas”. Os estudos apontaram, ainda, como fragilidades do sector, no concelho de Alcobaça, a “gestão familiar e reduzida dimensão das empresas, trabalhadores pouco qualificados e com idade elevada, e a forte dependência do estrangeiro”.

O dirigente acrescentou que a ausência de “cooperação inter-empresarial”, ao longo de anos, também não ajudou o sector a preparar-se para as mudanças de mercado e as, consequentes dificuldades, apelando, deste modo, a “uma mudança de atitude para que as empresas ganhem outra dimensão”. O subsector da cerâmica utilitária e decorativa tinha, em 2008, 405 empresas, e empregava 10.955 trabalhadores. Só no concelho de Alcobaça, a produção do subsector contempla 36 unidades, que dão emprego a 1.215 trabalhadores, gerando um volume de negócios de 47 milhões de euros. A empresa responsável pelo estudo, a Inteli, parceira da Câmara de Alcobaça no projecto do INTERREG IV-C “CeRamICa”, apontou, também, algumas oportunidades que o sector precisa de aproveitar, nomeadamente, a crescente aposta na regeneração urbana em detrimento da construção nova bem como o crescimento do turismo industrial. O “aproveitamento de fusões e aquisições entre empresas, a utilização de energias renováveis e o desinvestimento no sector da cerâmica por parte de outros países europeus produtores e consumidores” são outras das oportunidades apontadas pelo estudo. Eduardo Nogueira, coordenador deste projecto, na Câmara Municipal de Alcobaça afirmou que o sector terá de se organizar e cooperar mais pois «acabou o tempo de todos produzirem o mesmo», fazendo ver que o sector precisa de «criatividade» e de «aproveitar as oportunidades», para se adaptar às novas exigências. Por exemplo, disse Eduardo Nogueira, «pode caminhar-se para o sistema chave na mão”, isto é, as empresas de cerâmica devem aliar-se ao sector da construção e proceder, durante a construção do edifício, à decoração interior” deixando aos futuros donos o trabalho do recheio. Os estudos, apresentados em Alcobaça, sobre fragilidades e oportunidades do sector em Alcobaça, vão ser enviados ao Ministério da Economia, servindo de reforço ao documento reivindicativo entregue em meados de Março por empresários e autarquias da região, reclamava medidas de apoio ao sector, nomeadamente ao nível da energia ou da formação dos trabalhadores.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

As vantagens de apostar num projeto de cozinha com ilha

Este tipo de cozinhas modernas com ilha, são cada vez mais comuns em Portugal por oferecerem uma estética interessante e serem muito mais práticas do que as cozinhas com uma disposição mais tradicional.

artigo

Maçã de Alcobaça IGP não utiliza substâncias perigosas

A Associação de Produtores de Maça de Alcobaça - Indicação Geográfica Protegida veio a público esclarecer os consumidores sobre os produtos que utiliza na produção deste produto certificado, depois de uma notícia divulgada Pesticide Action Network. Um documento...

maca de alcobaca sustent