Q

Previsão do tempo

19° C
  • Friday 19° C
  • Saturday 18° C
  • Sunday 19° C
19° C
  • Friday 20° C
  • Saturday 19° C
  • Sunday 22° C
24° C
  • Friday 20° C
  • Saturday 19° C
  • Sunday 21° C
[speaker]
[speaker]

UMA QUESTÃO DE PORTUGUÊS

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Editorial 111Clara BernardinoSomos um país de poetas. Isso talvez signifique que temos um país pequenino e com muitas pessoas com criatividade e mais dom de palavra por metro quadrado. Até aqui, estamos todos de acordo. Também todos concordamos que há palavras doces que conseguem aliviar-nos as dores da alma e outras palavras que nos esbofeteiam […]

Editorial 111Clara BernardinoSomos um país de poetas. Isso talvez signifique que temos um país pequenino e com muitas pessoas com criatividade e mais dom de palavra por metro quadrado. Até aqui, estamos todos de acordo. Também todos concordamos que há palavras doces que conseguem aliviar-nos as dores da alma e outras palavras que nos esbofeteiam mais profundamente do que as chicotadas que nos dá a própria vida.Movem-se “guerras” por causa das palavras e selam-se “pazes”, igualmente, com palavras.

As palavras marcam a concórdia e também a oposição. A mesma frase, dita em tom diferente implica uma pontuação escrita diferente e, consequentemente, uma intencionalidade e um significado diferentes.Vejam-se as palavras dos políticos da nossa praça: alguns apelam à união, mas semeiam a divisão; outros defendem posições em que as palavras não deixam margem para dúvidas, mas depois de instalada a confusão, já o sentido das suas palavras não era esse, o tom também não era o que lhe atribuíram, tornando-se vítimas das palavras que disseram, mas que também não era bem o que queriam dizer…Talvez seja uma questão de Português. Mais precisamente, talvez seja um problema de interpretação de uns, e de utilização de vocabulário inadequado à transmissão das ideias pretendidas, por parte de outros. Com certeza, não será um problema exclusivo dos senhores políticos. A culpa será da nossa língua, riquíssima em sinónimos, em que uma palavra não tem só um significado ou uma intenção. O maior problema da nossa língua pode não se prender com a questão dos sinónimos, mas sim com as leituras que se podem fazer dos mesmos e com a apropriação que cada um de nós faz dos significados das palavras. Ou seja, é como se cada um de nós tivesse um dicionário próprio que vai construindo, ao longo da vida, e que pode diferir dos outros…Como dizia Fernando Pessoa, “a minha pátria é a Língua Portuguesa”… Talvez seja por isso, que o nosso chão é fértil em poetas e políticos!

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Canil municipal na Nazaré sem capacidade para mais animais

O canil municipal na Nazaré atingiu o limite da sua capacidade de acolhimento de animais e recebe diariamente apelos para a recolha de ninhadas ou de canídeos encontrados a deambular pelo concelho, com sinais de desorientação. Segundo o grupo de voluntários que...

canil 1

Alfeizerão regressa à época Medieval de 14 a 16 de julho

Alfeizerão Medieval, um evento com entrada gratuita, que vai recriar os tempos em que cristãos e mouros conviviam naquela terra, sob o domínio dos monges de Cister, vai decorrer de 14 a 16 de julho. O mercado medieval vai ficar instalado num espaço de mais de...

mediaval

Despiste aparatoso junto à Pousada da Juventude de Alfeizerão

Uma mulher de 37 anos sofreu ferimentos ligeiros após uma queda aparatosa do veículo que conduzia, ao princípio da manhã do passado dia 19, na ravina junto à Pousada da Juventude de Alfeizerão. O despiste aconteceu entre as seis e meia e as sete da manhã, numa...

despistepousada