Q

Previsão do tempo

10° C
  • Wednesday 12° C
  • Thursday 14° C
  • Friday 14° C
10° C
  • Wednesday 11° C
  • Thursday 15° C
  • Friday 14° C
8° C
  • Wednesday 11° C
  • Thursday 14° C
  • Friday 14° C
Entrevista com o cantor nazareno Hugo Piló:

“O meu trajecto musical é eclético”

JL

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Vamos começar com uma pequena apresentação de Hugo Piló. RN-É natural de onde? HP-Nasci no Sítio da Nazaré. RN-Vive na Nazaré? HP-Sim, nos últimos 5 anos vivi na Nazaré. RN-É casado? Tem filhos? HP-Casado e tenho 2 filhas, a Maria Nazaré e a Maria Clara. RN-Quando é que a música entrou na sua vida? HP-Sempre […]

Vamos começar com uma pequena apresentação de Hugo Piló.

RN-É natural de onde?

HP-Nasci no Sítio da Nazaré.

RN-Vive na Nazaré?

HP-Sim, nos últimos 5 anos vivi na Nazaré.

RN-É casado? Tem filhos?

HP-Casado e tenho 2 filhas, a Maria Nazaré e a Maria Clara.

RN-Quando é que a música entrou na sua vida?

HP-Sempre gostei de música, aos 15 anos comecei a cantar num banda, a ‘Inclita Geração’ e num grupo de cantores nazarenos, os ‘Amigos para Sempre, com o mestre Porfírio do Carmo Laborinho.

RN-Quais são os seus Grupos e cantores preferidos?

HP-Tudo o que me soa bem eu ouço, costumo dizer que toda a música tem o seu local e momento para ser bem apreciada. Ainda assim tenho bandas e cantores de referência, tais como os U2, Inxs, the Doors. Bono,Rui Veloso e Roberto Carlos, serão talvez os cantores que mais ouvi até hoje.

RN-E o melhor disco?

HP-Achtung Baby, dos U2.

RN-A música da sua vida é …?

HP-One, desse mesmo álbum.

RN-É um privilégio fazer música e poder viver, em parte, dela. Como ocupa o tempo livre. Há algum hobbie que o prenda?

HP-Não vivo da música, vivo com ela. As coisas mais divertidas que me aconteceram até hoje foram sempre com algo ligado à música, dar um concerto, ir a festivais, beber um café com amigos e falarmos sobre música. Trabalho no Café Oceano, negócio familiar, para além disso tento ir ao cinema, ao futebol e viajar.

RN-Qual foi a primeira música que cantou? E quando?

HP-Não tenho a certeza, talvez um daqueles temas infantis tipo ‘O Porquinho Foi À Horta’. em cima da mesa de jantar lá de casa, com o meu pai à viola e a família reunida.

RN-Lembra-se da primeira canção que escreveu?

HP-‘One World Vision’, penso que terá sido essa a primeira a ser musicada. Na altura dos primeiros originais, com os mesmos elementos dos ‘Inclita Geração’. Esse projecto tinha o nome ‘Sixfold’.

RN-Depois dos primeiros contactos com este universo, iniciou um trajeto com envolvimento em vários projetos musicais. Fale desses grupos e como foram essas experiências?

HP-O meu trajecto musical é eclético na medida em que sempre tive facilidade em cantar vários estilos musicais, uns melhor, outros pior. Depois de ter ido à Chuva de Estrelas, fiz parte dos ‘Santaclaus’, esse foi o periodo onde fiz mais concertos, dei a volta a Portugal e conheci algumas comunidades portuguesas no estrangeiro, e fui sempre conhecendo a malta gira do meio. Os Blister, banda de rock da qual era o vocalista foi até hoje o projecto em que investi mais do meu tempo, saber e entusiasmo. Sinto que podiamos ter feito ainda mais coisas. O tempo passa as canções ficam.

RN-Até a data quantos discos já gravou?

HP-3 álbuns, e várias participações.

RN-Pode descrever a sua discografia?

HP-Incompleta ( risos)

RN-Apesar dos vários estilos que tem interpretado, e das críticas positivas que tem recebido, ainda não conseguiu que uma das suas canções se tenha tornado um êxito. O que tem faltado para chegar lá?

HP-As críticas positivas fazem-me continuar, assim como sentir que há sempre uma música à espera de ser feita. Nunca se sabe bem ao certo o que faz de um tema um sucesso, às vezes o timing, às vezes o efeito surpresa, às vezes a própria época em que se vive, no sentido dessa ser essa, ou não, a altura em que a tua música está preparada para ser ouvida e ter sucesso. No final das contas prevalece o que nós ouvimos e nos toca cá dentro. Quando são muitos a sentir o mesmo pela mesma canção, a coisa acontece.

RN-É com a formação “Hugo Piló e as Máquinas Quentes”, que muitos conheceram melhor na Festa de Passagem de Ano, que acredita que o sucesso vai bater à porta?

HP-É fundamentalmente um assumir realista de que quero estar preparado para tocar ao vivo, com músicos e amigos que admiro. Estou a construir repertório, ainda estou na fase inicial da minha carreira em nome próprio. O concerto correu muito bem, foi um dia com um gostinho especial por ser na minha terra.

RN-Como define o estilo da sua nova banda?

HP- Estilo muito próprio e em constante aquecimento. risos

RN-Quais são os planos que pretende colocar em prática para divulgar este novo projeto?

HP-Estão no segredo dos deuses. Mas lá está, primeiro cantar boas canções.

RN- “Cliente Habitual” é o tema que apresenta Hugo Piló e as Máquinas Quentes. Estão previstas músicas novas para breve?

HP-Sim, estou a gravar temas novos. o ‘Nada Pessoal’ e o ‘Cliente Habitual foram o pontapé de saída e tiveram tipos de produção diferentes. Ambos contam com videoclipe e são os primeiros frutos.

RN-Têm como objetivo gravar um CD este ano?

HP- Vou ter temas novos, acarinhados ao máximo mas não tenho, neste momento, o objectivo de gravar um álbum.

RN-As redes sociais são importantes para dar a conhecer o trabalho dos artistas. É uma área em que também vão apostar?

HP-Tenho as coisas bem arrumadinhas na web, para que quem quiser saber mais sobre o meu trabalho musical, o conseguir de uma forma eficaz. Youtube, Facebook e Instagram são, sem dúvidas, máquinas bem quentes.

RN-Atuaram no final do ano na Nazaré, como decorreu o concerto?

HP-O concerto foi especial porque jogava em casa. O setlist foi mais direto, para as pessoas se divertirem. Misturei temas originais com versões de temas que todos conhecem. O clima era de festa e no final fiquei feliz com o resultado.

RN-Como está a vossa agenda em termos de concertos?

HP-Não tenho ainda nada marcado para breve, esta talvez pudesses retirar.

RN-Um desejo para este ano?

HP-Trabalhar com os melhores para atingir outro patamar no panorama musical português. Assumo que estou no activo e vou encontrar mais canções que tenham a ver comigo. Como diz o Gabriel o Pensador : ‘ com calma e com classe sem errar um passe, o que fez com que o seu passe também se valorizasse’.

Fica o convite para ouvirem as minhas músicas na internet, é só escrever Hugo Piló no youtube e está lá quase tudo.

Créditos das fotos Ricardo Neves.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Alcobacense Churky participa no Festival da Canção 2023

O Músico Churky, de Alcobaça, é um dos novos valores da música portuguesa que está entre os 20 autores selecionados para a edição de 2023 do festival da Canção. Há mais dois nomes do distrito de Leiria que participam, os Dankunsportif  de Peniche e  Inês...

chuky 1

Novo disco dos The Gift chega às plataformas de streaming

CORAL, o novo disco dos The Gift, editado no passado dia 14 de setembro, apenas disponível em exclusivo na App REV, já chegou a todas as plataformas de streaming. O novo trabalho de estúdio da banda de Alcobaça conta com um conceito único, no qual arriscaram a...

indice