Q

Previsão do tempo

14° C
  • Monday 14° C
  • Tuesday 15° C
  • Wednesday 15° C
14° C
  • Monday 14° C
  • Tuesday 15° C
  • Wednesday 15° C
14° C
  • Monday 14° C
  • Tuesday 14° C
  • Wednesday 15° C

Homem condenado a prisão por envolvimento com menor vai recorrer

Paulo Alexamdre

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Um homem de 49 anos foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão efetiva pelos crimes de recurso à prostituição de menores e tráfico de estupefacientes de menor gravidade, informou, no passado dia 24, a Procuradoria da Comarca de Leiria.

O arguido vai recorrer e garante que o caso de que se fala “não faz qualquer sentido” e diz-se vítima da família da adolescente.

“Não faz sentido e não há provas do que me acusam. A única testemunha que foi apresentada em Tribunal, foi feita por um ex-funcionário meu que disse em tribunal ter visto em minha casa placas de haxixe, o que nunca existiu”.

O homem, que nunca acreditou que o caso chegasse a julgamento, associa o surgimento da história ao corte das ajudas que deu à família da jovem.

“Ajudei a família até conseguir, mas quando deixei de o fazer, rebentou o casou o escândalo em Tribunal”.

Triste pela pena e pela noticia que se espalhou pelos vizinhos, de um crime com repercussões sociais graves, o arguido manifesta-se, ainda, desgostoso por o Tribunal ter ouvido uma testemunha que se “assume consumidor de droga”.

“O que eu ouvi em tribunal é inacreditável. O que sei é que a testemunha ouvida foi despedida e que tem uns processos pendentes com o pai da menor. A mim, disse-me que iria depor a meu favor, mas na barra do tribunal juntou-se ao outro lado”.

A Procuradoria anunciou que o Tribunal Judicial de Leiria condenou o arguido pela prática de um crime de tráfico de estupefacientes de menor gravidade na pena de dois anos de prisão e de um crime de recurso à prostituição de menores na pena de três anos e seis meses de prisão.

Em cúmulo jurídico, o homem foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão efetiva.

De acordo com a nota publicada, o acórdão deu como assente que em abril de 2015, “num pinhal, o arguido manteve relações sexuais” com uma menor, nascida no ano de 2000.

Alguns dias depois, no interior da sua residência, situada em Pataias, concelho de Alcobaça, “o arguido cedeu haxixe à referida menor, para que esta consumisse, o que ela fez, e de seguida manteve relações sexuais com a mesma”.

“Mais deu como provado que no período compreendido entre os meses de abril e junho de 2015 o arguido, quase diariamente, manteve relações” com a menor em diversos locais circundantes a Pataias.

O homem continua a afirma-se inocente e declara: “estão a tentar entalar-me. Eu irei falar nos nomes que for preciso e vou livrar a minha cara. Não me culpem de coisas que não fiz. Há ali coisas que até foram eles que fizeram à rapariga”.

Ainda de acordo com o arguido, que admite ter fumado estupefacientes com o pai da adolescente, foi o próprio progenitor que forneceu, em algumas das ocasiões a que assistiu, o produto à filha, alegando que, assim, saberia o que “ela andava a consumir”.

A investigação, efetuada pelo Ministério Público, teve a coadjuvação da Polícia Judiciária de Leiria.

O acórdão, não transitou em julgado.

O homem vai recorrer da sentença e promete dar todos os nomes envolvidos este caso, e que o inocentam.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Timorenses acolhidos por Alcobaça aguardam ofertas de emprego

40 migrantes de nacionalidade timorense foram alojados na Pousada da Juventude de Alfeizerão, em Alcobaça. “São na maioria jovens entre os 20 e os 30 anos, que vieram encaminhados pela Segurança Social de Leiria”, segundo o presidente da Câmara de Alcobaça,...

24ª Mostra Internacional Doces & Licores Conventuais regressa ao Mosteiro

De 17 a 20 de novembro, Alcobaça estará, uma vez mais, no mapa internacional dos eventos gastronómicos de excelência. A 24.ª edição da Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais de Alcobaça “tem como novidade o alargamento do espaço de exposição para três...

cornucopias