Q

Previsão do tempo

10° C
  • Sunday 15° C
  • Monday 14° C
  • Tuesday 16° C
11° C
  • Sunday 15° C
  • Monday 14° C
  • Tuesday 16° C
12° C
  • Sunday 15° C
  • Monday 13° C
  • Tuesday 16° C

Património da Estremadura quer mosteiro de Alcobaça como panteão nacional

Paulo Alexandre

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O presidente do Centro do Património da Estremadura - CEPAE, Micael Sousa, defende que os mosteiros da Batalha e de Alcobaça devem receber o estatuto de panteão nacional e criar uma parceria a partir desse estatuto.

A sugestão surge na sequência do pedido feito pelo município da Batalha aos grupos parlamentares com assento na Assembleia da República para que, depois de terem aprovado o Mosteiro dos Jerónimos como panteão nacional, o façam também relativamente ao Mosteiro de Santa Maria da Vitória, na Batalha.

O CEPAE acompanha a ambição da Batalha e entende que a iniciativa deve ser alargada a Alcobaça, já que, tal como a Batalha, é também panteão real.

“Não querendo banalizar o estatuto, ambos poderiam defender e assumir uma eventual parceria nesta matéria, suportados e fortalecidos pelo restante património regional, nas suas várias dimensões”, diz o presidente do CEPAE.

O dirigente lembra que “o Mosteiro de Alcobaça detém importantes túmulos de figuras proeminentes da história de Portugal, como D. Afonso III, responsável pela estabilização política, reconquista do sul do país e primeiras cortes alargadas ao povo e os famosos D. Pedro e D. Inês de Castro, entre outros”.

Micael Sousa acredita que, a partir do estatuto de panteão nacional, ambos os mosteiros podem criar “uma forte estratégia e práticas de valorização do património da região em rede”.

“Este estatuto, que é claramente simbólico, poderá trazer mais notoriedade ao património existente. O CEPAE será a favor desta e de todas as iniciativas que contribuam para salvaguardar e valorizar o património da região”.

Já o presidente da Câmara de Alcobaça, Paulo Inácio, lembra que o Mosteiro de Alcobaça já detém, como o da Batalha, “estatuto de panteão real, tendo sido o segundo da monarquia nacional”. O autarca entende que “terá de ser a Direção-Geral do Património Cultural a pronunciar-se” sobre a eventualidade de vir a ser panteão nacional.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Timorenses acolhidos por Alcobaça aguardam ofertas de emprego

40 migrantes de nacionalidade timorense foram alojados na Pousada da Juventude de Alfeizerão, em Alcobaça. “São na maioria jovens entre os 20 e os 30 anos, que vieram encaminhados pela Segurança Social de Leiria”, segundo o presidente da Câmara de Alcobaça,...

24ª Mostra Internacional Doces & Licores Conventuais regressa ao Mosteiro

De 17 a 20 de novembro, Alcobaça estará, uma vez mais, no mapa internacional dos eventos gastronómicos de excelência. A 24.ª edição da Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais de Alcobaça “tem como novidade o alargamento do espaço de exposição para três...

cornucopias