Q

Previsão do tempo

13° C
  • Thursday 22° C
  • Friday 22° C
  • Saturday 19° C
13° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 23° C
  • Saturday 23° C
12° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 22° C
  • Saturday 23° C

Exposição “Caricaturas de outras gentes. Coleção do Dr. Joaquim Manso” na Galeria Municipal

JL

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Abriu no sábado, dia 13 de fevereiro, a exposição "Caricaturas de outras gentes. Coleção do Dr. Joaquim Manso", que ficará patente na Galeria Municipal Paul Girol, na Nazaré até 5 de março.

As caricaturas, do acervo do Museu, faziam parte da coleção de Joaquim Manso (1878-1956), representando este jornalista e outras figuras da vida pública dos inícios do século XX.

Estão presentes artistas como Francisco Valença, Amarelhe, Armando Boaventura, Teixeira Cabral, Canelas e os estrangeiros Kelen Genf e Maribona, que, sobretudo a traço preto, destacam de forma bem-humorada ou crítica algumas personagens do círculo político e intelectual da época. Várias privavam de perto com Joaquim Manso e as suas caricaturas destinavam-se certamente à imprensa, nomeadamente ao “Diário de Lisboa”, de que Joaquim Manso foi fundador e diretor durante 35 anos.

“Género artístico que, em Portugal, vinha ganhando relevo desde o final do século XIX, com a ação do prodigioso e multifacetado Rafael Bordalo Pinheiro, a caricatura encontrou na imprensa um espaço público mais visível, que hoje a torna, a par da sua apreciação estética, numa fonte de significado sociológico ou num instrumento de descodificação da realidade histórico-político da época”, referiu Dóris Santos, coordenadora do Museu da Nazaré, na abertura da exposição.

Nas primeiras décadas do século XX, a caricatura e a visão humorista ocuparam um lugar de relevo também entre os artistas modernistas que procuravam romper com a linguagem oitocentista, entre os quais encontramos alguns dos artistas aqui patentes, como Amarelhe e Francisco Valença.

Do conjunto apresentado nesta exposição, sobressai a caricatura individualizada, centrada no exagero das particularidades físicas do rosto. Algumas, acompanhadas por anotações escritas, apontam a denúncia ou o comentário satírico da vida nacional.

O período da sua produção – anos 1920 e 1930 – é também interessante para a história da caricatura portuguesa, num momento de charneira, marcado, a nível internacional, pelo período entre-Guerras e, no país, pelo fim da I República e o início da Ditadura e o que esta significou em termos de orientação editorial e da liberdade de expressão na imprensa e na cultura em geral.

Notabilizando-se como escritor, ensaísta e jornalista, Joaquim Manso passava as férias nesta vila piscatória, no edifício que vem a ser doado ao Estado em 1968, para aí se instalar o Museu da Nazaré, inaugurado em 1976.

Nesta exposição, é apresentada pela primeira vez parte da coleção de caricaturas do jornalista, doadas ao Museu em 1977, pelo filho Eng. Pedro Manso Lefèvre.

Manuel Sequeira, vereador da cultura, referiu, a propósito da mostra, a importância de “ter à nossa disposição um conjunto de trabalhos, que são do espólio do Museu, expostos ao público da Galeria”.

A exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 18h00. Aos sábados, das 15h00 às 18h00.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Encerramento do Ascensor desespera comerciantes

Os comerciantes com negócios junto ao Ascensor falam em dificuldades financeiras devido à paragem do transporte há vários meses devido à realização das obras de sustentação das arribas por parte da Agência Portuguesa do Ambiente [APA]. A obra tinha o prazo de...

ascensor

Imagem de Nossa Senhora da Nazaré regressou ao Santuário

A imagem de N.S. Nazaré regressou ao Santuário da Nossa Senhora da Nazaré, de onde apenas saiu por duas vezes na sua história, após dois anos de restauro. Desde finais de 2021 que a imagem se encontrava no Laboratório José de Figueiredo, em Lisboa, onde foi sujeita...

nsn