Q

Previsão do tempo

26° C
  • Sunday 21° C
  • Monday 19° C
  • Tuesday 22° C
27° C
  • Sunday 24° C
  • Monday 21° C
  • Tuesday 24° C
28° C
  • Sunday 24° C
  • Monday 21° C
  • Tuesday 24° C

Alcobaça reduz IMI mas mantém outras taxas

Paulo Alexandre

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O IMI - imposto municipal sobre imóveis desceu 0,25% em Alcobaça. Com a decisão da Câmara Municipal, a taxa a aplicar pelos prédios urbanos avaliados será de 0,375% , enquanto a taxa pelos prédios urbanos não avaliados será de 0,7% (manteve-se) e a dos prédios rústicos de 0,8%

Alcobaça mantém a taxa de 3,75% no IRS e a derrama nos 1,3% para empresas com faturação superior a 150 mil euros e 1% para empresas que declarem lucros inferiores aquele plafond.

“Trata-se de um esforço de auxílio aos munícipes. Mantivemos o IRS, que é dos mais baixos na região, e os valores da derrama, mas baixamos o IMI em 0,25% ”, disse Paulo Inácio, Presidente da Câmara, acrescentando que “pelo terceiro ano, não iremos fazer a atualização das taxas da água e saneamento”.

Segundo o autarca “é um pacote fiscal que, na prática, reduz a carga fiscal sobre os munícipes, não aumenta nenhum imposto e diminui o IMI”.

Carlos Bonifácio, do CDSPP, que votou ao lado da maioria PSD, recordou que “é favorável à redução de impostos no período como o que se atravessa”, de dificuldades.

O vereador do CDSPP fala em “coerência” de posição do partido, recordando que há um ano votou contra a proposta de manutenção das taxas por considerar que “havia condições para as baixar, visto que a receita, nesta rubrica, foi de 600 mil euros”, o que prova que o partido estava correto, quando defendia o abaixamento e que este não colocava em causa as finanças da autarquia.

Já o PS votou contra a proposta da maioria (PSD), sobre as taxas a aplicar em 2015, tendo José Canha alegando que, desde a tomada de posse, os socialistas defendem “a diminuição da carga fiscal como determinante”.

“Se no ano passado não inviabilizámos a proposta do IMI, este ano defendíamos uma redução mais significativa, superior ao que foi proposto pelo Presidente da Câmara, que é insuficiente” para os dias de hoje”, explicou o vereador.

Já Vanda Marques, da CDU, justifica o voto contra com o facto de a coligação não ter recebido atempadamente os documentos para uma análise cuidada.

“Já pedimos à Câmara para ter acesso, com antecedência, aos documentos, para os podermos discutir internamente. Votámos contra o IMI, porque achamos que deveria baixar mais; contra a derrama que não deveria ser aplicada às pequenas e médias empresas e contra a taxa do IRS, uma questão que deveria ser tratada na Assembleia da República e não a nível local”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Novo recorde de maior onda surfada na Praia do Norte

Há um novo recorde mundial de maior onda já surfada na Praia do Norte, na Nazaré, que foi alcançado pelo alemão Sebastian Steudtner, que em 29 de outubro de 2020 atingiu os 26,21 metros, segundo foi anunciado nesta terça-feira pela World Surf League (WSL),...

ondajpg

Mário Cerol assumiu o Comando dos Bombeiros Voluntários da Nazaré

O novo comandante dos Bombeiros Voluntários da Nazaré tomou posse do cargo, no passado dia 25 de abril, uma cerimónia que contou com a presença da população e das entidades convidadas. Mário Cerol falou em compromisso, responsabilidade e em gratidão pelo convite...

mario cerol