Q

Previsão do tempo

22° C
  • Wednesday 22° C
  • Thursday 22° C
  • Friday 25° C
19° C
  • Wednesday 21° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 29° C
14° C
  • Wednesday 18° C
  • Thursday 27° C
  • Friday 28° C
Entrevista a Walter Chicharro

“Promover a empregabilidade será a prioridade”

Paulo Alexandre

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O PS volta à presidência da Câmara da Nazaré, 20 anos depois, ao ter vencido um ato eleitoral em que o PSD foi o grande derrotado, ao ter perdido metade da preferência do eleitorado em relação às últimas autárquicas (2009). Walter Chicharro falou em “grande satisfação” sobre a recuperação da Câmara da Nazaré para o PS, e adiantou que uma auditoria às contas da autarquia será uma das suas primeiras medidas, logo que entrar em funções.

“Os munícipes da Nazaré estavam saturados de estagnação”

RN:Venceu em todas as frentes, no concelho da Nazaré: Juntas de Freguesia, Assembleia Municipal e Câmara. Qual a sua análise a estes resultados?

Walter C: Foram excelentes resultados, mas, acima de tudo, foi a demonstração de que os munícipes da Nazaré estavam saturados de estagnação a que o nosso Concelho estava votado há vinte anos.

RN:Foi uma viragem à esquerda ou vontade de mudança?

Walter C:Foi uma clara vontade de mudança para uma gestão mais social.

RN:Quando é que o novo executivo camarário toma posse?

Walter C:Em princípio a 18 ou 19 de Outubro, foram as datas sugeridas ao Presidente da Assembleia Municipal cessante, José Jordão.

RN:Já definiu os pelouros dos seus vereadores?

WalterC:Alguns sim, mas ainda estamos a limar as últimas arestas.

RN: Quando tomar posse, qual vai ser a sua grande prioridade?

Walter C:Tal como foi dito ao longo da campanha, as duas grandes prioridades

são: a auditoria às contas do município e a aposta no emprego estável.

RN:Vai encontrar uma determinada forma de trabalhar da parte dos serviços, ao longo dos últimos 20 anos, dirigidos pela mesma pessoa, Jorge Barroso. O que espera dos funcionários? O que podem esperar de si?

Walter C:Acima de tudo, espero da parte do nosso pessoal, dedicação e empenho para podermos dar a volta por cima. De mim, como fui demonstrando ao longo dos últimos meses, podem esperar respeito e a certeza de que contamos com todos eles para obtermos os melhores resultados para o nosso Concelho.

RN:Já defendeu a manutenção da empresa municipal Nazaré Qualifica, cuja extinção só aceita se os trabalhadores forem integrados no quadro da câmara. Mantém?

Walter C:Claramente.

RN:Dos projetos em curso por parte da Nazaré Qualifica, o mais visível dos quais é o projeto North Canyon que conta com a presença do surfista McNamara, quais os que, do seu ponto de vista devem ser prosseguidos pela empresa? Já tem em mente outros que quer vir a implementar, no âmbito do seu projeto autárquico, e que deixará à empresa para que seja esta a desenvolvê-lo (los)?

Walter C:A empresa municipal nasceu com a intenção de promover a fixação de empresas na ALE de Valado dos Frades e, consequentemente promover a empregabilidade. Essa será a prioridade. O projeto que referiu é importante para a divulgação do destino turístico Nazaré, mas pretendemos implementar medidas que fomentem mais retorno para a economia local. Finalmente, na vertente de eventos de promoção turística, esta empresa terá, também, uma importante palavra, principalmente, na atração de investimento privado para a divulgação dos nossos produtos.

RN:Já falou com Mcnamara? O que lhe comunicou?

Walter C:Sim, na passada 2ª feira estive reunido com ele no Porto de Abrigo, e comuniquei-lhe que o projeto é para continuar e melhorar.

RN:O projecto north Canyon é para continuar. Sofrerá ajustes?

Walter C:Claro que será para continuar. Têm existido muitas mais-valias neste projeto, algo que nunca menosprezei. O que pretendemos é potenciar este projeto e executar medidas que gerem mais receitas diretas e indiretas para o município e, principalmente, para a economia local.

RN:A praia do norte, através das ondas gigantes, tem conseguido uma grande promoção, a nível mundial, ao contrário de outras do seu concelho, como a praia do salgado (praia dourada). Pretende apostar na promoção desta praia?

Walter C:Sim. É necessário melhorar as acessibilidades à praia, assim como, dinamizar as atividades circundantes através da criação de trilhos de natureza e o apoio à promoção a outros eventos desportivos.

RN:A dívida da autarquia é conhecida, e ronda os 44 milhões de euros, portanto, está numa situação muito difícil. Recentemente, o executivo de Jorge Barroso anunciou o fecho do processo Pael (Programa de apoio à economia local), o que irá obriga a um grande controlo das finanças da autarquia, e ao mesmo tempo aumentar os impostos aos munícipes. Até que ponto esta realidade poderá vir a condicionar o seu programa?

Walter C:Como saberá, o PS é contra este processo de reestruturação financeira. Achamos que deve ser feita uma reestruturação, mas num processo em que as garantias assumidas não lesem gravemente os munícipes. As reservas são muitas, não só apenas da nossa parte, mas também das entidades fiscalizadoras do processo. E, como tal, sabendo que temos um plano de redução de despesa que não passa por despedimentos e aumento de impostos é nossa intenção renegociar este processo, de forma, a evitar danos maiores a munícipes e funcionários públicos locais.

RN:O que vai fazer para reduzir a despesa mensal do município?

Walter C:O processo não está finalizado, até porque não conhecemos a situação financeira, em detalhe. Mas a redução de despesa com despesas fixas como na gestão de resíduos; na iluminação pública (onde pretendemos criar um sistema inovador e autossuficiente); na gestão dos espaços públicos; na redução de despesa supérflua em aquisição de bens e serviços e cargos políticos com valores impraticáveis. Enfim, muitas medidas que acreditamos poderão gerar um corte na despesa anual de 1,2 milhões de euros e, com isso, evitar aumento de impostos e cortes no pessoal.

RN:Várias vezes referiu que o Turismo é um eixo estruturante da economia nazarena, e que quer combater a sazonalidade e a dependência de receitas. Como pretende combater a sazonalidade? A Nazaré tem a época (alta) do Verão, o carnaval, a Páscoa, a festa da Passagem do ano e o grande evento do Inverno, o projeto North Canyon/McNamara, como principais pontos de atracão. Que outros eventos pretende implementar?

Walter C: O turismo é, sem dúvida, um eixo estruturante da nossa economia, e, a sazonalidade, tal como foi muitas vezes referido ao longo da campanha, é para ser combatida. Para isso, temos em cima da mesa a criação do Big Wave Festival em Julho, dos festivais gastronomia – que vão privilegiar as matérias-primas da nossa terra – da caldeirada e o do carapau seco. É também necessário dar uma nova dinâmica a uma das imagens de marca da nossa terra: o Carnaval. Acreditamos que é necessário uma maior e melhor promoção deste evento que, outrora, trazia milhares de pessoas à nossa terra.

RN:Como pretende promover a marca Nazaré?

Walter C:A Nazaré é, em si, uma marca. O que vamos fazer é passar a utilizar uma política de comunicação uniforme e dinâmica, para conseguirmos tirar todo o proveito num futuro próximo das potencialidades da nossa marca. Aqui, vertentes como o marketing territorial vão desempenhar um papel extremamente importante.

RN:Qual é a sua política desportiva para o concelho, designadamente em relação aos protocolos existentes com os clubes? E relativamente ao desporto de lazer e manutenção?

Walter C:Nos últimos vinte anos, o investimento no desporto, apenas se reflete em infraestruturas levadas a cabo na sede do concelho. Houve uma aposta forte na antiga gestão do PS, que construiu, no Valado dos Frades, um pavilhão gimnodesportivo e outro em Famalicão. Daí em diante só se investiu na sede do concelho. Este é um paradigma vamos alterar de uma forma sustentada e gradual para que o desporto chegue a todos os munícipes.

RN:Uma das ideias do seu programa é a requalificar os espaços públicos, tornando-os mais acolhedores, mais ecológicos e energeticamente autossuficientes, E torná-los pontos de atração”.

Gostaria que desse exemplo de alguns dos espaços públicos que pretende requalificar?

Walter C:Todo o concelho se encontra numa situação de evidente degradação e desleixo dos espaços públicos. O caso mais flagrante é o da Marginal da Nazaré (na qual pretendemos atuar com a máxima urgência), mas em espaços como o Parque da Pedralva, as Praias do Norte e Salgado, S.

Gião, monte de S. Bartolomeu, Lagoa do Saloio, etc, é necessária uma rápida intervenção. O que pretendemos é ir ao detalhe, só assim se consegue mudar no plano global.

RN:O que vai fazer e que regras pretende colocar à venda ambulante e aos vendedores que colocam os toldos (Barracas) durante o verão junto à Biblioteca Municipal, criando uma imagem terceiro mundista numa das principais entradas da Nazaré?

Walter C:Este cenário não serve o município, os visitantes e, muito menos, os vendedores. É necessário requalificar os espaços de venda ambulante. Dotá-los de maior atratividade e qualidade é para nós uma prioridade. Este é um projeto para todos, em que todos têm de ser beneficiários e é por isso que nos iremos bater sempre.

RN:E como pretende organizar a venda ambulante que durante o verão, que se tem vindo, ano após ano, a estender pela marginal?

Walter C:Esse fenómeno, em nada beneficia a Nazaré como destino turístico e pior não potencia a economia local. É importante referir que esse espaço não se encontra sob jurisdição camarária, mas é nossa intenção dialogar com todas as entidades que possam intervir nesse processo.

Uma coisa é certa: tudo farei para dotar de maior qualidade aos produtos turísticos que temos para oferecer. O cenário que referiu é, em meu entender, a antítese de aumento de qualidade da oferta turística.

RN: Principalmente na época de verão, quando a Nazaré recebe mais turistas, em algumas ruas e locais da vila, nota-se alguma falta de limpeza. Como pretende corrigir essa situação?

Walter C:É determinante terminar o contrato com a Ecoambiente. Vai ser, como foi dito ao longo da campanha, numa dinâmica entre a Câmara e as Juntas que vamos dar a resposta a este problema. As pessoas pagam impostos para verem questões como estas serem resolvidas pelo poder que elegem. Um município como o nosso, que quer receber cada vez mais turistas, tem que se apresentar de cara lavada: é isso que vamos fazer.

RN:Também referiu que vai fazer uma forte aposta na vertente cultural.

De que forma pretende que os nazarenos integrem este seu projecto?

WalterC:As políticas culturais – fundamentais para nós – passam pela preservação de usos e costumes, ou seja, divulgar o nosso património cultural na condição de fonte turística. Tal já foi conseguido, no passado, com a divulgação do nosso folclore que ao representar a sua identidade única tornava-o único, apetecível, reconhecido e, acima de tudo, respeitado. Pretendemos projetar a cultura do concelho da Nazaré para um patamar de distinção e reconhecimento que, para além dos dividendos económicos que tal aposta poderá trazer, devolverá o orgulho a todos os que vivem e sentem a cultura do nosso concelho. Os nazarenos são, obviamente, parte fundamental deste investimento. Sem eles, sem a sua história, não haveria cultura para divulgar.

RN:O que pretende fazer com a gestão do Cine-Teatro?

WalterC:Primeiro do que tudo: reestruturar o modelo de gestão. Esta reestruturação irá passar por um investimento público e pela criação de parcerias com companhias e associações. Posso dizer que já há uma companhia de bailado, de renome nacional, que demonstrou interesse na utilização do espaço e, assim, começar a dinamizá-lo. A seu tempo decidiremos sobre este tema.

RN:No seu projeto quer apostar na certificação do pescado nazareno e olhar para o porto de abrigo como um motor para o desenvolvimento da atividade económica do Município da Nazaré. Já reuniu com os pescadores. Qual foi a sua mensagem? O que pretende, ou o que pode fazer o Município, para que o porto de abrigo (a celebrar 30 anos de

existência) se torne esse motor de desenvolvimento?

WalterC:Ao longo da campanha, levámos a cabo uma serie de fóruns temáticos.

Num deles, que foi dedicado à questão das pescas, tive a oportunidade de ouvir a comunidade piscatória da Nazaré. Pude, deste modo, perceber que há muito a fazer. É por isso que, ainda como candidato, na minha viagem pelo Canadá, tive a oportunidade de estar reunido com empresas do ramo da aquacultura e da transformação de pescado que se mostraram interessadas em vir para o nosso concelho. A gestão do Porto da Nazaré passa pela dinamização do espaço e da atividade que se gera no mesmo.

Por isso, este tipo de abordagens a empresas ligadas ao ramo das pescas será uma constante do nosso mandato. Assim como, potenciar receitas para a classe piscatória que, com as atuais regras, acabam por ser o elo mais fraco de uma cadeia produtiva muito importante para o concelho.

RN:Área Empresarial do Valado, Teleférico para a Pederneira, Marina, requalificação da Marginal e do Mercado municipal, os novos edifícios dos Paços do Concelho e do Tribunal, e o Centro de Alto Rendimento de Surf foram várias vezes mencionados como Projectos fundamentais para o desenvolvimento da Nazaré. Com excepção a ALE de Valado dos Frades

(infraestruturas) e do Carsurf, nada está feito. Faz sentido falar destes projetos numa altura de dificuldades económicas? Gostaria de avançar com algum projeto neste primeiro mandato?

WalterC:A Área Empresarial do Valado, a requalificação da marginal e a dinamização do mercado são prioridades. A Área Empresarial, porque o emprego é uma das nossas grandes prioridades/necessidades, e temos que aproveitar ao máximo os nossos ativos. A marginal e o mercado são alguns dos ex-libris subaproveitados que se vão transformar em mais-valias para o Concelho.

RN:Esteve no Canadá a tentar captar empresários e investidores para que apostem na Nazaré. Que condições vai apresentar para que o concelho de torne atrativo para os investidores?

WalterC:Temos, já, duas empresas, por sinal detidas por portugueses, a negociarem para se instalarem no nosso Concelho. Isto é fruto de uma dinâmica que esteve latente na nossa campanha, e que agora vamos transpor para a gestão do município. É preciso desburocratizar e inovar para conseguirmos atrair investimento: é isso que temos feito e vamos continuar a fazer.

RN:O PS tem tido uma posição muito clara em relação ao processo da Concessão das Águas a privados e a gestão dos resíduos sólidos. O que pretende para o futuro relativamente a dois dos serviços que mais pesam nas faturas do Município?

WalterC:Consideramos que este é um serviço que, para além de inalienável, deve ser, também, um garante de equidade social que só poderá ser assegurado pela entidade estatal gestora, neste caso, a Câmara Municipal da Nazaré. Com a gestão camarária vamos gerar mais-valias para os munícipes. Por exemplo: um restaurante que faça reciclagem e entrega de restos alimentares e óleos para compostagem e biodiesel, será alvo de um abatimento percentual na conta da água, tendo em conta as quantidades entregues.

RN:De que forma prevê incentivar e apoiar projectos vindos da população que contribuam para o desenvolvimento do concelho?

WalterC:Como ficou demonstrado ao logo da campanha, a nossa equipa sabe que só estando ao lado das pessoas, a andar nas ruas, a ouvir as pessoas é que conseguiremos dar uma resposta mais efetiva aos problemas. É nosso dever, e tudo vamos fazer, para trabalhar em conjunto com os munícipes para, em conjunto, encontrarmos as soluções e percorrermos os caminhos que temos pela frente.

RN:É já uma tradição falar da Nazaré e dos problemas ficando de lado do debate as freguesias e os locais. Os próximos presidentes de junta são todos do PS. Como vai olhar para as freguesias, empresas e associações? Que compromisso assume (assumiu) com a população desses locais?

Walter C:O nosso compromisso ficou à vista de todos: este será um mandato para todos. Um mandato que tem por base um projeto que visa incluir todo o Município da Nazaré na dinâmica de governação. É verdade que, nos últimos vinte anos, as freguesias foram esquecidas pelo PSD, mas, como os munícipes sabem, nós queremos unir este Concelho para batalhar pelo futuro do nosso em união. Também as empresas e as associações fazem parte deste projeto, na medida em que, elas são fundamentais para a criação de riqueza e dinâmicas com a sociedade civil.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Requalificação dos antigos Paços do Concelho da Pederneira

O projeto de requalificação do edifício da antiga câmara, na Pederneira, para onde está destinada a instalação do tribunal, foi aprovado pelo Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos de Justiça. Para Walter Chicharro, que anunciou a aprovação durante a última...

pacos do concelho