Q

Previsão do tempo

17° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 22° C
  • Friday 21° C
17° C
  • Wednesday 25° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 24° C
20° C
  • Wednesday 23° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 23° C

Barra Talasso promoveu encontro médico sobre talassoterapia

Paulo Alexandre

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
«Os séculos têm demonstrado que há benefício no uso das águas». A afirmação é de Frederico Teixeira, catedrático de Terapêutica Geral da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e especialista em Hidrologia Médica, no decurso do 1º Encontro Médico Barra Talasso, que se realizou este fim-de-semana, no Hotel Miramar Sul, na Nazaré.

Perante uma audiência de cerca de 70 médicos da região, o também Presidente da Comissão de Avaliação Técnica dos Estabelecimentos Termais discordou daqueles que apontam falta de evidência científica relativamente aos benefícios do termalismo e da talassoterapia. «A

melhor evidência são os resultados que os utentes sentem após uma cura termal ou de talassoterapia», salientou Frederico Teixeira, lembrando que a própria indústria farmacêutica «está a regressar à natureza».O especialista foi um dos participantes no fórum dedicado à análise da talassoterapia em Portugal, inserido no evento organizado pela empresa Barra Talasso e pela Sociedade Portuguesa de Hidrologia Médica e Climatologia (SPHMC), com o objetivo de dar a conhecer à comunidade médica da região as principais indicações da aplicação da água do mar, bem como o Centro de Talassoterapia da Nazaré.

Para Pedro Cantista, médico fisiatra e diretor clínico da Barra Talasso, a talassoterapia deve ser encarada em Portugal como «uma oferta de saúde de excelência», para prevenção e controlo de diversas patologias, «num contexto holístico que deve levar em consideração fatores como o exercício físico controlado e a reeducação alimentar», entre outros.

O também presidente da SPHMC apresentou a definição de talassoterapia como «o método terapêutico que utiliza, sob supervisão médica, a água do mar e outros recursos marinhos (nomeadamente a areia, os lodos, as lamas, as algas, as anémonas, os corais), bem como o clima marítimo, como meios de prevenção, tratamento e reabilitação de doenças e disfunções, ou como agente de promoção de saúde, bem estar, lazer ou qualidade de vida».

Segundo Pedro Cantista, estudos científicos demonstram que, em determinadas condições de temperatura e humidade, a pele humana constitui um meio de troca entre a água do mar e o plasma sanguíneo, introduzindo no organismo iões e oligoelementos essenciais. A ação da mudança térmica, a massagem contínua provocada pelo movimento da água e o ar puro e saudável do meio marinho favorecem a absorção dos minerais pelos poros da pele, alcançando assim efeitos benéficos para a saúde.

As principais indicações da talassorerapia prendem-se com o combate às doenças osteo-articulares, patologias das vias respiratórias superiores, alergias e doenças da pele, problemas vasculares, obesidade e sintomas associados ao stress, fadiga, ansiedade e depressão.

Coube a Ana Paula Branco, otorrinolaringologista no Centro Hospitalar das Caldas da Rainha, fazer uma apresentação de carácter mais detalhado sobre os benefícios da aplicação da água do mar e do meio marinho em doenças das vias respiratórias. Segundo esta especialista,

«as inalações e lavagens nasais com água do mar são técnicas terapêuticas com capacidade para alterar ciclos viciosos patológicos» e «coadjuvantes de um bom resultado cirúrgico». Além disso, Ana Paula Branco não tem dúvidas sobre os benefícios da hidrologia em geral, e

da talassoterapia em particular, ao nível do psiquismo do utente.

Uma ideia partilhada por António Santos Silva, diretor termal do Hotel H2O, para quem a diminuição dos episódios de manifestação aguda de uma patologia e a sensação de bem-estar geral contribuem para o aumento da qualidade de vida e, consequentemente, para a redução de aspetos como o consumo medicamentoso ou o absentismo laboral.

Durante a tarde, interveio também Paulo Diegues, da Direcção Geral de Saúde, que salientou o facto de, em Portugal, a talassoterapia ser um produto mais ligado ao sector turístico do que à saúde, e ainda por regulamentar. «Já se começou a partir pedra e a elaborar um esboço de

uma proposta legislativa neste domínio, aproximada da regulamentação que existe para o termalismo», declarou Paulo Diegues.

O representante da Direção Geral de Saúde lançou ainda o desafio de destacar a importância da talassoterapia enquanto produto de turismo de saúde e bem estar, no âmbito da Estratégia Nacional para o Mar, um documento que se encontra atualmente em discussão pública.

O 1º Encontro Médico Barra Talasso incluiu ainda uma visita às instalações do Centro de Talassoterapia da Nazaré e um jantar de confraternização.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Encerramento do Ascensor desespera comerciantes

Os comerciantes com negócios junto ao Ascensor falam em dificuldades financeiras devido à paragem do transporte há vários meses devido à realização das obras de sustentação das arribas por parte da Agência Portuguesa do Ambiente [APA]. A obra tinha o prazo de...

ascensor

Imagem de Nossa Senhora da Nazaré regressou ao Santuário

A imagem de N.S. Nazaré regressou ao Santuário da Nossa Senhora da Nazaré, de onde apenas saiu por duas vezes na sua história, após dois anos de restauro. Desde finais de 2021 que a imagem se encontrava no Laboratório José de Figueiredo, em Lisboa, onde foi sujeita...

nsn