Q

Previsão do tempo

18° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 22° C
  • Friday 29° C
18° C
  • Wednesday 22° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 35° C
18° C
  • Wednesday 23° C
  • Thursday 28° C
  • Friday 33° C

AI NAZARÉ, NAZARÉ!

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
EU PESCADOR ME CONFESSO Armando Lopes Em Julho e Agosto a Nazaré rebenta pelas costuras. É invadida por milhares de visitantes que lhe duplicam ou triplicam a população. Vêm à procura da areia dourada, do sol quente e acolhedor, do mar rendilhado e da brisa refrescante. Acorrem ao apelo de um postal ilustrado que lhes […]

EU PESCADOR ME CONFESSO Armando Lopes Em Julho e Agosto a Nazaré rebenta pelas costuras. É invadida por milhares de visitantes que lhe duplicam ou triplicam a população. Vêm à procura da areia dourada, do sol quente e acolhedor, do mar rendilhado e da brisa refrescante. Acorrem ao apelo de um postal ilustrado que lhes povoa o imaginário, não resistindo às suas cores fortes e de rara beleza. Só que a Nazaré, principalmente nestes dois meses, transforma-se num pesadelo. Para quem vem e para aqueles que aqui vivem. Os carros entopem as entradas da vila e as ruas. A confusão instala-se, dificultando a circulação. Os passeios são ocupados, selvaticamente, por condutores que não têm um mínimo de respeito por ninguém. Nem pelos peões nem pelos residentes. E, de ano para ano, a situação agrava-se sem solução à vista.

É bom para a Nazaré que haja movimento. Movimento significa negócio, estimula a economia local e cria novas oportunidades. Só não é bom que haja anarquia e desordem. Porque a sua existência provoca mal-estar, tanto aos que estão como aos que vêm. Para além disso, degrada a imagem da vila, retirando-lhe todo o encanto que a caracteriza. O que não aproveita nem aos locais nem aos visitantes. A Nazaré cresceu, naturalmente. Como quem distende os braços e se espreguiça num longo bocejo. Hoje tem mais casas e mais gente. As potencialidades da vila são um apelo e um convite permanentes à fixação de pessoas. Mas, a nível estrutural, a Nazaré estagnou. Principalmente, no que respeita a acessibilidades e a parques de estacionamento. O que provoca toda esta confusão e desconforto. No entanto, bastava que houvesse um pouco mais de previsibilidade e cuidado. Bastava que, atempadamente, fossem criadas as infra-estruturas necessárias. Bastava que se privilegiasse o essencial em detrimento do acessório. Bastava que se trocasse o folclórico, os adereços, as festas e festanças, pela resolução concreta dos problemas estruturais. Bastava, enfim, que se rejeitasse o conformismo e houvesse uma visão de futuro, clara e objectiva, que permitisse o golpe de asa. E a Nazaré não seria este caos que se repete, impreterivelmente todos os anos, em Julho e Agosto.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

CDU critica atualização de respostas sociais à realidade do país

A resposta social do concelho às famílias que apresentam maiores dificuldades não é suficiente na opinião da CDU. “Temos vindo a assistir à degradação da vida por conta dos aumentos de custos de vida”, disse João Paulo Delgado, vereador na oposição da Câmara da...

cmn

Turista critica encerramento de balneários de praia ao fim da tarde

Os horários de serviços de apoio à praia da Nazaré foram alvo de criticas por banhistas que se deslocaram ao local e encontraram a porta encerrada ao final da tarde. António Neves e a família, residente em Almeirim, escreveu o seu desagrado pela situação que viveu...

294558343 745558416697977 4135384464215398638 n