Q

Previsão do tempo

17° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 31° C
  • Saturday 30° C
18° C
  • Thursday 32° C
  • Friday 38° C
  • Saturday 38° C
18° C
  • Thursday 33° C
  • Friday 38° C
  • Saturday 38° C

Falta a grande mística de outros tempos ao clube

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
José Carlos acedeu falar ao Região da Nazaré sobre a temporada dos alvi-negros, teria muito ainda para contar mas por agora aqui ficam as suas ideias. Uma entrevista de – O balanço a nível desportivo não é positivo, e não é, porque nós entendemos que estavam reunidas todas as condições para que pudéssemos fazer melhor. […]
Falta a grande mística de outros tempos ao clube

José Carlos acedeu falar ao Região da Nazaré sobre a temporada dos alvi-negros, teria muito ainda para contar mas por agora aqui ficam as suas ideias. Uma entrevista de

– O balanço a nível desportivo não é positivo, e não é, porque nós entendemos que estavam reunidas todas as condições para que pudéssemos fazer melhor. Claro está que isto vem no contexto do que o clube (equipa) fez no ano anterior, os jogadores estavam conscientes nalguma expectativa que teriam de igualar ou fazer melhor que a época transacta e isso foi fatal. Podem-me dizer tudo e mais alguma coisa, não me digam é que nessa temporada “Os Nazarenos” ganharam algo, o clube ficou em segundo lugar mas nada ganhou, esta é a grande realidade.- Há duas vertentes no meu entender que fizeram com que a nossa equipa não pudesse superar as expectativas que foram tiradas em redor delas. 1ª Situação: A filosofia que estava implantada, que é completamente diferente da minha, ou seja, a equipa tinha processos que no meu entender não eram os mais indicados para o grupo que tinham não quero com isto dizer que não tenham feito um belíssimo campeonato na temporada anterior á minha chegada. A outra vertente tem nitidamente a ver com a pessoa que estava (treinador) e com a pessoa que veio (eu), as identidades são completamente diferentes. Nas palavras dos jogadores e eles são soberanos, comigo “Os Nazarenos” ganharam disciplina organização e rigor, três ingredientes que complementam e unem um grupo de trabalho, algo que o grupo não tinha. Não sou cobarde, não me escondo nem invento desculpas, por não ter conseguido atingir aquilo que eu programei para a temporada darei sempre a cara nos bons e maus momentos. Tenho a certeza que para “Os Nazarenos” o ideal é ser um treinador de fora, quer seja eu ou não, pois no inicio da época foi complicado já que tive de eliminar muitos vícios que estavam implantados no balneário e em nada abonam este clube, foi como um vírus que invade um programa e que deve ser tratado o quanto antes para não dignificar o sistema, admito que foi difícil, pois para tudo na vida é preciso tempo mas consegui eliminar os mesmos. Quais os vícios? De momento fica só para quem os exterminou “eu”. J.C-

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

As vantagens de apostar num projeto de cozinha com ilha

Este tipo de cozinhas modernas com ilha, são cada vez mais comuns em Portugal por oferecerem uma estética interessante e serem muito mais práticas do que as cozinhas com uma disposição mais tradicional.

artigo

Maçã de Alcobaça IGP não utiliza substâncias perigosas

A Associação de Produtores de Maça de Alcobaça - Indicação Geográfica Protegida veio a público esclarecer os consumidores sobre os produtos que utiliza na produção deste produto certificado, depois de uma notícia divulgada Pesticide Action Network. Um documento...

maca de alcobaca sustent