Q

Previsão do tempo

18° C
  • Wednesday 19° C
  • Thursday 20° C
  • Friday 22° C
18° C
  • Wednesday 23° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 27° C
20° C
  • Wednesday 25° C
  • Thursday 27° C
  • Friday 29° C

Diferenças eternas entre seres iguais

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Cristiana RochaEstudanteEm toda a história do mundo sempre houve alguém que dominou e rebaixou outro alguém. Sempre houve dominadores e dominados, sempre houve escravidão e exploração de diversas facetas, houve sempre gente olhada simplesmente como um instrumento de trabalho e não como seres humanos. Ainda hoje existem casos de escravidão disfarçada, que por vezes não […]

Cristiana RochaEstudanteEm toda a história do mundo sempre houve alguém que dominou e rebaixou outro alguém. Sempre houve dominadores e dominados, sempre houve escravidão e exploração de diversas facetas, houve sempre gente olhada simplesmente como um instrumento de trabalho e não como seres humanos. Ainda hoje existem casos de escravidão disfarçada, que por vezes não são visíveis aos olhares de todos, como antigamente o eram. Com efeito, se analisarmos as circunstâncias que evoluem, positivamente e negativamente o mundo actual, deparamo-nos com uma sociedade vivida à base de interesses pessoais, sociais e económicos. Actualmente, em alguns casos, a escravidão e a exploração infantil são os principais meios usados para atingir estes próprios objectivos.

Há muitas crianças que vivem a sua infância brincando a trabalhar, sem noção. Servem de mão-de-obra adulta, fazendo e exercendo o trabalho de igual modo. Por serem crianças, não têm a capacidade de perceber o porquê de fazer tudo aquilo todos os dias. Sabem apenas que, se o fizerem não são mal tratadas e têm, pelo menos, algo que comer naquele dia.São exemplos de escravidão activa, desenvolvida inocentemente por estas crianças. São pequenos/grandes seres Humanos a trabalhar para grandes marcas, que o fazem ao preço de uma pobre refeição, vivendo assim uma infância roubada. O dinheiro e o interesse sempre foram os principais motivos de toda esta desigualdade, havendo sempre alguém dominador de todas estas crianças que se aproveita da sua inocência para crescer no mundo do trabalho, roubando a vida e a personalidade destes pequenos seres humanos.No nosso meio, as crianças não ligam qualquer importância à comida, mas sim aos artigos que as outras crianças fabricam, fazendo tudo para os ter. Divertem-se, inconscientemente, com algo que atormenta a vida de uma outra criança que não tem regalias supérfluas. As crianças do mundo desenvolvido têm uma vida de verdadeira criança. Não conhecem a realidade de outras crianças “iguais” a si e não têm a noção do mundo que está tão longe e tão perto do seu. No entanto, ambas conhecem o mesmo produto, umas porque trabalham arduamente nele e outras porque o compram para usufruto pessoal.Para as crianças vítimas deste tipo de exploração, o trabalho é o seu brinquedo e a sua diversão, para as crianças do nosso meio, o trabalho é uma palavra que não faz parte do seu quotidiano, e divertem-se com os jogos e com os brinquedos reais que o dinheiro do trabalho dos seus pais paga.Reflectindo sobre todas estas circunstâncias, posso chegar à conclusão que todos nós vivemos sob diferenças, como a riqueza e poder, ou a miséria e ignorância. Não nos apercebemos disto, mas por vezes, ouvimos falar nos meios de comunicação social sobre cenários que as nossas vidas não conseguem sequer tentar imaginar, são exemplos de vidas de seres humanos esquecidos “por aí”, trabalhando para nós, e nós, inconscientemente, ajudamos esse cenário a crescer dia após dia, consumindo os seus produtos. Acredito, por estas razões, que existirão diferenças eternas entre seres iguais e que o mundo de todas as pessoas está longe de se tornar igual para todos, a todos os níveis.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Prémios Vinhos de Portugal 2024 realizado em Alcobaça

Ministro da Agricultura marcou presença no evento que decorreu em hotel de luxo da cidade O Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel foi, no passado dia 3 de maio, o local escolhido para a realização da cerimónia de entrega dos prémios aos vencedores da 11º...

concurso de vinhos portugueses

Arte Xávega regressa para reavivar o património [vivo] do concelho

A herança cultural é recriada para mostrar como era a vida piscatória antes do Porto A recriação da pesca artesanal “Arte Xávega" está de volta ao areal da Praia da Nazaré por iniciativa do Rancho Velha Guarda do Folclore da Nazaré, com o apoio do Município, aos...

arte xavega

Exposição de embarcações tradicionais aumenta espólio

A exposição de embarcações tradicionais da Nazaré aumentou o seu espólio com a instalação do Barco do Candil “Amor de Filhos” no espaço em frente ao Centro Cultural da Nazaré (antiga lota), que integra o Museu (vivo) do Peixe Seco. Esta embarcação foi utilizada...

barco