Q

Previsão do tempo

14° C
  • Sunday 18° C
  • Monday 20° C
  • Tuesday 19° C
15° C
  • Sunday 20° C
  • Monday 23° C
  • Tuesday 21° C
13° C
  • Sunday 19° C
  • Monday 22° C
  • Tuesday 21° C
[speaker]
[speaker]

Armadores Espanhóis dizem-se “arruinados”

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
PescasJosé RicardoAlgumas centenas de armadores e representantes do sector da pesca do país vizinho manifestaram-se no passado dia 7 diante da “Consejería de Pesca”, em Santiago de Compostela, para exigirem dos governos autonómicos e central que tomem medidas urgentes, porque se consideram “arruninados”.Segundo notícias divulgadas por agências noticiosas e jornais de Espanha, os manifestantes, oriundos […]

PescasJosé RicardoAlgumas centenas de armadores e representantes do sector da pesca do país vizinho manifestaram-se no passado dia 7 diante da “Consejería de Pesca”, em Santiago de Compostela, para exigirem dos governos autonómicos e central que tomem medidas urgentes, porque se consideram “arruninados”.Segundo notícias divulgadas por agências noticiosas e jornais de Espanha, os manifestantes, oriundos de portos galegos, asturianos e bascos, gritavam “Ave Mucha, los que van a morir te saludan” (recordando os escravos no Coliseu de Roma antes da hora da morte).

Concha Ortega, porta-voz da “Plataforma en Defensa del Sector Pesquero” declarou, segundo os relatos da imprensa espanhola: “Estamos arruinados. Somos famílias, pequenas empresas que empenharam as suas casas e que agora podem perder tudo”. Segundo disse, o combustível duplicou em quatro anos duas vezes, passando das antigas 30 pesetas para mais de 105 pesetas, ou seja, mais de 0,60 cêntimos do euro. Ou, como resumiu: “o pescado (está) a metade do preço e o combustível a mais do dobro”. Os manifestantes exigiram medidas idênticas às que foram adoptadas pela França no início do ano, após a greve dos pescadores na Finisterra. Nessa altura, o presidente Sarkozy e o ministro Michel Barnier convocaram os representantes do sector ao Palácio do Eliseu, em Paris, e anunciaram um pacote extraordinário de quinze medidas, entre as quais a redução dos descontos para a segurança social.As exigências dos manifestantes espanhóis foram apoiadas pelo porta-voz para as pescas do Grupo Parlamentar Popular, José Manuel Balseiro, e outros membros do mesmo grupo, que consideraram a situação como “insustentável” e acusaram o governo espanhol de “não estar a fazer nada”, acrescentando que este é “o pior momento dos últimos 25 anos”.Só na Galiza a pesca emprega 27.400 pessoas e factura cerca de 4.000 milhões de euros. Mas o manifesto da “Plataforma”, lido durante a manifestação de Santiago, aponta para a possibilidade da perda de “milhares de postos de trabalho” se não forem adoptadas medidas para compensar a subida do combustível e controlar as importações. Nos últimos dez anos, a Espanha perdeu 40% do emprego na pesca, segundo dados divulgados em Vigo pelo sindicato “Comisiones Obreras”.No mesmo dia da manifestação, o governo espanhol disponibilizou-se para retomar as negociações com o sector, que contempla a possibilidade de convocar uma nova manifestação, para Madrid, ainda este mês, e à qual se juntariam os representantes dos portos do Levante.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Ampliaqua instala-se com inovação e investigação no Porto da Nazaré

A maior unidade de aquaponia do país que combina aquacultura e hidroponia livre de produtos químicos A AmpliAqua®️, uma empresa inovadora no campo da aquacultura, que combina aquacultura e hidroponia de forma sustentável, anunciou, em abril, a sua instalação no...

Ampliaqua

Alcobaça em grande destaque no ranking PME Líder 2023

Com 110 empresas galardoadas, mais 11 do que no ano transato, Alcobaça ocupa novamente um lugar de destaque a nível do Oeste (2º classificado) e do distrito (3º classificado) no ranking PME Líder 2023, prestigiado selo de qualidade atribuído anualmente pelo IAPMEI...